Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Servidores participam de seminário sobre pregão eletrônico

Notícias

Servidores participam de seminário sobre pregão eletrônico

Evento promoveu troca de experiências entre pregoeiros

publicado:  04/12/2015 21h09, última modificação:  04/12/2015 21h09

Cerca de 130 servidores participaram hoje (4) do Seminário de Boas Práticas em Pregão Eletrônico. O evento, realizado na Escola Nacional de Administração Pública (Enap), integra o ciclo de capacitações promovido pela escola em parceria com o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP).
 
O seminário foi realizado com o objetivo de difundir conhecimentos necessários para a realização de pregões eficazes e promover a troca de experiências entre pregoeiros que atuam na administração pública federal. O coordenador-geral de Estratégias de Contratações da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI), Juarez Sostena, destacou o apoio da Enap nas capacitações e o compromisso da secretaria em promovê-las. “Cabe a nós da SLTI normatizar, orientar e prover as ferramentas necessárias para simplificar os processos de licitações”, afirmou.
 
Elenice Santos, servidora da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), acredita que essa é a oportunidade agregar conhecimentos. “Esse seminário é importante para que nós, que trabalhamos na área de licitações, possamos interagir com outros servidores que também atuam na área e trocar informações”, disse.
 
Pregão eletrônico
 
A modalidade de licitação é utilizada para aquisição de bens e serviços comuns no âmbito da União, Estados, Municípios e Distrito Federal, conforme regulamentado pelo Decreto nº 5.450, de maio de 2005.
 
A ferramenta simplifica os procedimentos de compras e é mais barato tanto para a administração pública quanto para o fornecedor. Essa modalidade reduz o custo de participação dos fornecedores nas licitações porque não exige que a empresa desloque seus funcionários já que todos os procedimentos ocorrem pela Internet. Com a ampliação dos concorrentes e a disputa realizada entre os fornecedores, o governo obtém preços menores. A economia obtida pelo pregão eletrônico varia entre 20% a 30%.