Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Presidenta Dilma assina decreto criando grupos de trabalho para a Rio +20

Presidenta Dilma assina decreto criando grupos de trabalho para a Rio +20

publicado:  07/06/2011 15h42, última modificação:  02/06/2015 16h22

Brasília, 7/6/2011 - A presidenta Dilma Rousseff assinou nesta terça-feira (7/6), em solenidade realizada no Palácio do Planalto, decreto que cria grupos de trabalho para a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), evento que acontece em junho de 2012, no Rio de Janeiro. A estimativa é contar com 120 Chefes de Estado e mais de 50 mil participantes credenciados. A Rio+20 visa a renovar o engajamento dos líderes mundiais com o desenvolvimento sustentável do planeta, 20 anos após a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92).

O decreto assinado pela presidenta cria a Comissão e o Comitê Nacional de Organização da conferência e uma Assessoria Extraordinária. A comissão será co-presidida pelos ministérios do Meio Ambiente (MMA) e das Relações Exteriores
(MRE), tendo o Ministério do Planejamento como parceiro, e deverá promover a interlocução entre órgãos e entidades federais, estaduais, municipais e da sociedade civil para articular a participação do Brasil na conferência da ONU. No próximo dia 30, acontece a primeira reunião da Comissão.

Para a presidenta Dilma, a Rio+20 representa momento especial para o Brasil e o mundo. “Não é apenas mais uma conferência. Tem tudo a ver com o que somos e queremos ser, disse, acrescentando que o país tem como missão histórica o uso sustentável
dos recursos naturais. “Não basta crescimento econômico, sem que os povos do mundo tenham acesso a riquezas que produzem.

Participaram da solenidade de hoje a ministra Izabella Teixeira (Meio Ambiente), os ministros Antonio Patriota (Relações Exteriores) e Antonio Palocci (Casa Civil) e o subsecretário-geral do Departamento Econômico e Social da ONU e secretário-geral da Rio+20, Sha Zukang, de governadores, senadores, deputados, embaixadores, secretários de Estado e representantes da academia, de movimentos sociais e do setor produtivo.

Para o ministro Patriota, o Rio de Janeiro será mais uma vez palco de grande mobilização política e social. Ele ressaltou que, hoje, países em desenvolvimento são a base das discussões sobre sustentabilidade. “O Brasil é o país síntese do desenvolvimento sustentável, disse ele, lembrando que o mundo olha para o Brasil com atenção e interesse, por suas conquistas e riquezas naturais.

De acordo com a ministra Izabella Teixeira, "a conferência não deve servir apenas para se olhar o passado e rever decisões tomadas; deve servir para olhar para o futuro". Ela afirmou ainda que o Brasil tem capacidade de liderar mundialmente o debate ambiental, e a Rio+20 é uma oportunidade que o País tem de demonstrar isso.