Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Paulo Bernardo recebe missão do FMI

Paulo Bernardo recebe missão do FMI

publicado:  06/10/2005 06h00, última modificação:  02/06/2015 16h00

Brasília, 06/10/2005 - O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, recebeu hoje a missão técnica do Fundo Monetário Internacional, que está em visita ao Brasil. A missão, chefiada por Charles Collyns e composta por oito pessoas, ouviu do ministro um amplo relato sobre a situação dos investimentos, dos programas sociais e das contas do governo, em uma hora de conversa.


Foto: Antonio Cunha/Divulgação

"Eles estão muito animados com a economia e com as finanças brasileiras. Nós estamos vivendo um momento de inflação baixa e crescimento econômico. As exportações estão indo muito bem e o governo tem as contas equilibradas, portanto temos todas as condições para crescer mais por um bom período.", disse Paulo Bernardo.

O Brasil não tem mais acordo com o FMI, mas como membro do Fundo está mantendo este tipo de relacionando, onde é possível avaliar os avanços feitos na economia, no governo do presidente Luis Ignácio da Silva. Um dos exemplos e a melhoria do balanço de pagamento do Brasil, que permitiu antecipar o pagamento de US$ 5 bilhões das parcelas dos empréstimos concedidos pelo fundo, que estariam vencendo até o final do ano. "A missão é de rotina, mas é importante que o FMI tenha informações precisas sobre o que acontece com a economia do País", acrescentou o ministro.

Entre os assuntos tratados no encontro estiveram os investimentos do orçamento fiscal, da seguridade social e das empresas estatais previstos para este e para o próximo ano, a situação das Parcerias Público-Privadas e o Projeto Piloto de Investimentos, destinado a ampliar, especialmente, a infra-estrutura de transporte do País. Paulo Bernardo explicou que apenas a Petrobrás estará fazendo investimento da ordem de R$ 31 bilhões em 2006.

Sobre a situação das PPP, Paulo Bernardo esclareceu que a primeira obra a ser começada será, provavelmente, um trecho de cerca 400 km da Ferrovia Norte-Sul, porque está com as obras mais adiantadas. Mas ainda estão na lista o Ferroanel de São Paulo e um trecho da BR 116.

O ministro informou também que o Projeto Piloto de Investimentos está indo tão bem que alguns parlamentares reclamam o fato de que determinada obra não está no PPI, porque o projeto tem um gerenciamento que possibilita um fluxo contínuo de recursos para o projeto. "Nossa idéia é de que, no futuro, todos os projetos do governo tenham o mesmo gerenciamento", completou.

Paulo Bernardo acrescentou que o governo está trabalhando, na próxima semana, em uma série de ações, que irá envolver todos os ministérios, para acelerar a execução financeira dos projetos no ano que vem.