Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Jucá defende integração para crescimento na América Latina

Notícias

Jucá defende integração para crescimento na América Latina

Para ministro, nova modelagem de financiamentos para infraestrutura deve atrair investidores

publicado:  18/05/2016 23h11, última modificação:  18/05/2016 23h17
 
 
Em palestra na abertura da 46º Assembleia da Associação Latino-Americana de Instituições Financeiras para o Desenvolvimento (Alide), no Rio de Janeiro, o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Romero Jucá, disse hoje (18) que o governo irá se esforçar pela integração econômica e social da América Latina e Caribe. “O Brasil estará acolhendo, participando e contribuindo para que a América Latina e o Caribe possam cumprir o seu papel de resgatar, a cada dia, as condições melhores de vida para o nosso povo”, afirmou.
 

Para Jucá, um ciclo de crescimento e de acúmulo de reservas cambiais impulsionado por uma conjuntura com os preços das commodities valorizados terminou e, por isso, o continente enfrenta agora um novo desafio em que deve atuar em outras frentes que possam dar resposta rápida à necessidade de investimento, geração de empregos e de competitividade da região.
 
Segundo o ministro, é necessário elaborar uma nova modelagem de financiamentos para infraestrutura para atrair investidores nacionais e estrangeiros que assegure rentabilidade, previsibilidade e estabilidade. Além disso, é preciso promover a inovação, a ciência e a tecnologia na região. “Temos que buscar essa matriz que é decisiva para o desenvolvimento da nossa economia”, avaliou Jucá, que considerou ainda a riqueza natural do continente como um fator de agregação de valor e de investimento verde.
 
Romero Jucá destacou também a necessidade de aprofundamento das políticas de educação e qualificação profissional: “Produtividade e competição em nível mundial significam educação de qualidade, formação profissional e, efetivamente, qualificação da nossa sociedade, dos nossos trabalhadores. Trabalhador qualificado ganha mais; em um país qualificado, a renda per capita (por pessoa) aumenta. Esse tem que ser, em tese, o destino final das nossas ações”.
 
Com informações da Agência Brasil.