Você está aqui: Página Inicial > Notícias > João Bernardo defende profissionalização do serviço público no Fórum Brasil-França

João Bernardo defende profissionalização do serviço público no Fórum Brasil-França

publicado:  16/09/2009 13h46, última modificação:  02/06/2015 19h21

Brasília, 15/9/2009 - O Secretário Executivo do Ministério do Planejamento, João Bernardo Bringel, defendeu na abertura do Fórum Brasil-França promovido pela Escola Nacional de Administração Pública – ENAP, a discussão da profissionalização do serviço público, que deve ser feita“através das experiências exitosas dos vários países.

Segundo Bringel, “não falamos apenas de Estados mais fortes, mas de Estados que representam povos mais fortes. Estados e governos que não sejam surdos para ouvir o que seu povo pleitea e não sejam mudos ao falar de forma ininteligível  ao seu povo. Estamos falando de construir burocracias que sejam profissionais e também permeáveis às políticas estabelecidas pelos eleitos, afirmou.

A presidente da ENAP, Helena Kerr do Amaral, destaco a relevância de discutir uma temática que é estratégica para a consolidação da democracia. “O Fórum permitirá conversar sobre o significado da democratização do serviço público que, no caso brasileiro, tem uma dimensão muito forte de enfrentamento da questão do acesso, da inclusão, do respeito, do estímulo à criatividade para potencializar a ação pública.


Helena destacou ainda o sucesso das ações de cooperação com a escola francesa de administração pública que, segundo ela, vão além da formação de servidores. “Conseguimos debater temas ligados ao fortalecimento da tomada de decisão das lideranças na Presidência da República, à negociação, à formação de consensos e à gestão de crises, disse.

O Diretor da Ecole Nationale D´Administration – ENA, Bernardo Boucault, classificou como fundamental a profissionalização da administração pública. Segundo ele, “é indispensável que um governo democraticamente eleito possa apoiar-se em um serviço público recrutado apenas pelo mérito e pelo talento dos candidatos, um serviço público competente, experimentado, imparcial, que garanta igual acesso a todos os cidadãos.

Destacou que Brasil e França tem “história, cultura e quadro institucional diferentes, mas compartilhamos as mesmas missões no que tange aos valores do serviço público no Estado democrático. Esse trabalho de reflexão sobre os grandes desafios torna-se mais interessante ainda porque temos as mesmas convicções, afirmou.

Participaram ainda da abertura do Fórum o embaixador da França no Brasil, Antoine Pouilleute; o Conselheiro de Estado da França, Jacky Richard e o Secretário Executivo Adjunto do Ministério do Planejamento, Francisco Gaetani.