Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Infraestrutura, comércio exterior e inovação devem ter prioridade no BNDES

Notícias

Infraestrutura, comércio exterior e inovação devem ter prioridade no BNDES

Na posse de Maria Sílvia, ministro disse que serão adotadas novas medidas de transparência e de governança para empresas estatais
publicado:  01/06/2016 20h09, última modificação:  01/06/2016 20h09

Na posse de Maria Sílvia Bastos Marques na presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no Rio de Janeiro, o ministro interino do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, destacou que o banco deverá concentrar suas atividades na área de infraestrutura que exige esforços adicionais do governo. “O BNDES tem iniciativas nessa área que devem ser aceleradas. Infraestrutura é hoje uma das nossas principais deficiências e, da mesma forma, uma das nossas principais oportunidades de expansão de investimento, de crescimento de emprego e de crescimento da atividade econômica”, disse o ministro.


Foto: Tomaz Silva/ABr
 
Oliveira considerou ainda que “o banco deverá dar continuidade e foco nos próximos anos na área de comércio exterior”. Além disso, mencionou a importância de “priorizar outros ramos, focando projetos inovadores, que tragam desenvolvimento e que possam estar tanto em setores tradicionais quanto na indústria da inovação, indústria verde, de tecnologias limpas entre outras que tragam retorno social”, acrescentou.
 
Em relação à gestão, observou a necessidade do aumento da eficiência operacional, da redução de custos e do tempo de análise e aprimoramento dos processos internos. “O Ministério do Planejamento está trazendo em breve, para adoção em todas as empresas estatais, novo conjunto de medidas para fortalecimento dos instrumentos de transparência e governança já existentes”, anunciou.
 
O ministro desejou boa sorte “a todos que contribuem para o desenvolvimento do banco e da economia brasileira” e ainda “sucesso e muito trabalho para que possamos cumprir a missão dada pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, de recuperar a economia e trazer de volta o país ao nível de crescimento e de desenvolvimento que ele merece”, finalizou.
 
Perfil
 
Maria Sílvia é economista e presidiu a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) entre 1999 e 2002. Também foi secretária municipal de Fazenda do município do Rio de Janeiro de 1993 a 1996. Presidiu o Instituto Brasileiro de Siderurgia (IBS) e coordenou a área externa da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda. No BNDES, a economista já integrou a área financeira e internacional do banco. Ela é a primeira mulher a assumir o comando do BNDES.