Você está aqui: Página Inicial > Notícias > "IBGE lança Censo Agropecuário para termos retrato adequado do País", diz ministro

Notícias

"IBGE lança Censo Agropecuário para termos retrato adequado do País", diz ministro

Lançamento do 10º Censo ocorreu hoje no IBGE, no Rio de Janeiro
publicado:  02/10/2017 11h56, última modificação:  02/10/2017 15h50

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) iniciará, neste mês, as operações do seu 10º Censo Agropecuário. Durante cinco meses, serão realizadas cerca de cinco milhões de visitas em estabelecimentos agropecuários de todo o País. Para o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, o Censo traz informação precisa do setor mais competitivo da economia e que gera mais divisas para o País.

Ministro Dyogo Oliveira participou do lançamento do Censo, no Rio de Janeiro
Foto: Pedro Vidal - Ascom/IBGE

"A realização do Censo está revestida na percepção e importância de ter informações desse setor e é relevante para a alocação de recursos", disse o ministro a jornalistas durante coletiva de imprensa. O Governo destinou aproximadamente R$ 770 milhões para a realização do Censo, que terá cerca de 19 mil recenseadores.

A fase de coleta do Censo Agro 2017, que compreende a aplicação dos questionários em todos os estabelecimentos agropecuários do Brasil, será realizada de 1º de outubro de 2017 a 28 de fevereiro de 2018. Serão levantadas informações sobre a propriedade, produção, área, pessoal ocupado, dentre outras. A divulgação preliminar deve ser iniciada já no primeiro semestre de 2018 e até o final do segundo semestre devem estar publicados todos os produtos que irão compilar os resultados da operação censitária.

O Brasil realizou o seu primeiro Censo Agropecuário em 1920. Em 1936, foi fundado o IBGE, que passou a ser o responsável pela realização dos Censos do país. De 1940 a 1970, os Censos Agropecuários foram realizados a cada dez anos e, a partir de então, passaram a ocorrer a cada cinco anos, ou seja, em 1975, 1980 e 1985. Em 1990 não foi possível a sua execução, sendo realizado somente em 1996, e o último Censo Agropecuário foi realizado em 2007.

As informações geradas possibilitam a avaliação de políticas públicas como, por exemplo, a de redistribuição de terras. Elas permitem, ainda, estudos a respeito da expansão das fronteiras agrícolas, da dinamização produtiva ditada pelas inovações tecnológicas, e enriquecem a produção de indicadores ambientais. Propiciam também análises sobre transformações decorrentes do processo de reestruturação e de ajustes na economia e de seus reflexos sobre o setor.

" O Censo tem também um componente ambiental importante e passou por processo de reengenharia com redução de 50 por cento dos custos. Em resumo, o Censo custará muito menos e manterá o nível de qualidade", completou ministro.

Saiba mais sobre o Censo Agropecuário 2017