Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Governo quer estimular parcerias em inovação entre setor público e empresas pela InovaGov

Notícias

Governo quer estimular parcerias em inovação entre setor público e empresas pela InovaGov

Criada em 2016, rede já teve adesão de 49 instituições públicas, seis empresas e agora da Fiesp
publicado:  25/05/2017 16h08, última modificação:  26/05/2017 16h07

O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP), o Tribunal de Contas da União (TCU), o Conselho da Justiça Federal (CJF) e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) lançaram hoje, em conjunto. a Rede Federal de Inovação no Setor Público (InovaGov) para o setor privado, academia e terceiro setor.

O objetivo é estimular parcerias necessárias à Rede para o fomento da inovação no setor público, disseminação de metodologias relacionadas ao tema e auxílio mútuo em projetos-chave para a inovação.

Na abertura do evento, o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, destacou que a intenção da Rede InovaGov é ser um observatório de novas ideias para serem avaliadas e incentivadas na gestão pública com intenção de iniciar a colaboração direta em projetos voltados à inovação no setor público. 

Foto: Gleice Mere/Ascom-MP
Acesse álbum completo do evento do Flickr do MP

“Essa rede é também direcionada para criar pelo menos um ambiente de fomento, de discussão, de geração de ideias inovadoras”, ressaltou Oliveira. “Inovar exige esforço e desprendimento, exige deixar de fazer as coisas como se fazia antes”.

A meta da Rede InovaGov é revolucionar a forma como o setor público conduz seus projetos, estimulando uma maior geração de ideias e soluções criativas que resultem em melhoria de processos e serviços. Também busca desenvolver de forma sistêmica a cultura da inovação na Administração Pública Federal.

Criada em 2016, a InovaGov é formada por 49 instituições públicas, seis instituições privadas e uma instituição do terceiro setor com a participação de 300 servidores públicos e profissionais. E neste momento tem a adesão da Fiesp.

“Haverá uma pequena revolução para o órgão que aderir às ideias incentivadas e implementadas ali e para o cidadão que receber o novo serviço”, disse o ministro. “É pensando em cada um de nós e em cada órgão que essa pequena revolução poderá gerar uma grande revolução. Não é imaginando que cairá do céu algo magnânimo que vai nos curar de todos os males”, concluiu.

COMO ADERIR

Órgãos federais interessados em aderir à Rede devem consultar o Acordo de Cooperação Técnica  e o regulamento . Já empresas, organizações acadêmicas e Organizações da Sociedade Civil devem solicitar adesão por meio de formulário específico.