Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Governo e Nações Unidas debatem transformação rural inclusiva em seminário

Notícias

Governo e Nações Unidas debatem transformação rural inclusiva em seminário

Evento também apresentou o Relatório de Desenvolvimento Rural 2016
publicado:  25/07/2017 18h58, última modificação:  25/07/2017 19h36

Representantes do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida/ONU) e do governo brasileiro se reuniram, nesta terça-feira (25), no seminário ‘Transformação Rural Sustentável e Inclusiva’, em Brasília/DF, para debater inovações no campo e experiências de combate à pobreza. O Fida integra o sistema da Organização das Nações Unidas (ONU) e financia projetos de assistência técnica rural e de reforma agrária.

Para o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP), Dyogo Oliveira, "o seminário de hoje tem grande relevância nos trabalhos realizados, conjuntamente, entre Fida e o Brasil, na concepção de projetos voltados para a superação da pobreza rural”. Na oportunidade, ele ainda destacou a importância do Fida como instrumento de apoio e financiamento a projetos voltados ao desenvolvimento rural no Brasil e no mundo.

Foto: Gleice Mere - Ascom/MP
Acesse álbum do evento no Flickr do MP

 “Atualmente temos uma carteira ativa, apoiado pelo Fida, em torno de USD 181 milhões em projetos voltados à pequena agricultura familiar que, a despeito do valor relativamente baixo, possuem um alto impacto nas regiões de atuação, localizados no nordeste brasileiro. Logo, essas experiências com os projetos estão sendo muito bem-sucedidas nas regiões”, disse Oliveira.  

O objetivo do encontro é estreitar a cooperação e o diálogo do Fida com as diversas entidades dos setores público e privado brasileiros envolvidos no combate à pobreza. Compartilhar conhecimentos e discutir questões mais amplas relacionadas com uma transformação rural sustentável e inclusiva no Brasil, aprendendo com a experiência e destacando os desafios, na promoção da prosperidade pela melhoria dos meios de subsistência das populações rurais do país.

 Para o secretário adjunto de Assuntos Internacionais do ministério do Planejamento (Seain/MP), Carlos Lampert, “o objetivo de trabalho do Fida é o pequeno agricultor familiar. O Fida tem uma longa experiência com o Brasil, seus projetos são desenvolvidos em índice subnacional, em região semiárida, a mais pobre do país”, comenta. “O que torna o papel do Fida ainda mais relevante no sentido de avaliar e propor medidas de resiliência à pequena agricultura, de modo que preservem os resultados até então obtidos em termos de diminuição da pobreza no campo”, ressaltou.

Avaliação

A avaliação do FIDA é coordenada por um escritório independente que faz parte da estrutura da agência.  Para o diretor da Divisão de Atuação Global, Conhecimento e Estratégia do Fida, Ashwani K. Muthoo, “o Fundo está expandindo suas operações por meio de dois novos projetos: na zona de transição entre a Amazônia e o Maranhão e no Agreste e Zona da Mata de Pernambuco, expandindo para fora da área semiárida, mas ainda com foco no Nordeste, que é a região mais pobre do Brasil”, detalhou.

O indiano Ashwani Muthoo é o gerente de avaliação. Ele ressaltou a parceria entre o Fida e o Brasil, um dos países em índice de desenvolvimento que sempre fez grandes contribuições para o trabalho do Fundo.  Segundo Mathoo, “o Fida reconhece o desempenho e progresso na redução da pobreza no Brasil nas últimas décadas, tendo a base nas medidas para promover a transformação rural inclusiva".

Na ocasião, foi apresentado o Relatório de Desenvolvimento Rural 2016 (RDR2016) (em inglês) que concentra uma nova paisagem rural a fim de informar as escolhas programáticas e políticas dos praticantes locais, regionais e mundiais, incluindo o FIDA. O relatório examina o desenvolvimento rural pelo prisma da transformação de áreas rurais e de toda a economia, além de centralizar a transformação rural inclusiva como elemento central dos esforços mundiais para eliminar a pobreza e a fome e construir sociedades inclusivas e sustentáveis para todos.

 Também participaram da reunião representantes da Embrapa,  da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário​ e do Ministério das Relações Exteriores. Durante o evento foi citado temas que serão tratados na conferência internacional sobre cooperação sul-sul e triangular, organizada pelo FIDA e pelo governo brasileiro, que acontecerá no final de novembro, em Brasília.

Sobre o Fida

O Fida foi criado em 1977 como um dos principais resultados da Conferência Mundial sobre Alimentação. O fundo tem por objetivo apoiar, primordialmente, projetos e programas especificamente desenhados para introduzir, expandir ou melhorar sistemas de produção de alimentos e fortalecer políticas e instituições relacionadas no âmbito das prioridades e estratégias nacionais, levando em consideração a necessidade de aumentar a produção nos países mais pobres com déficit alimentar; o potencial para elevar a produção de alimentos em outros países em desenvolvimento; e a importância de melhorar o nível nutricional e as condições de vida das populações mais pobres nos países em desenvolvimento. O Fida integra o sistema da Organização das Nações Unidas (ONU) e tem como principal objetivo permitir que a população rural supere a pobreza, ampliando a renda e a produção de alimentos dos agricultores, tanto com financiamento, quanto com assistência técnica e conhecimentos na reforma agraria.