Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Bernardo fala da crise e de investimentos do PAC a empresários italianos

Bernardo fala da crise e de investimentos do PAC a empresários italianos

publicado:  13/11/2008 15h19, última modificação:  02/06/2015 19h21

Brasília, 13/11/2008 - A

forma como o Brasil está enfrentando a crise mundial e a agenda de investimentos do país foram a tônica da fala do ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, no seminário internacional “Os sistemas infra-estruturais: fatores de integração e desenvolvimento da América Latina, promovido pela Prefeitura e pela Câmara de Comércio de Milão, nesta quinta, na Itália.

Em uma mesa composta pela prefeita de Milão, Letizia Moratti e pelo governador da região da Lombardia, Roberto Formigoni, o ministro fez um relato das medidas adotadas pelo Brasil para enfrentar a recessão mundial, ressaltando que elas visam manter as linhas de crédito internas, viabilizar as exportações, evitar a forte volatilidade do câmbio e facilitar a aquisição de pequenos e médios bancos com alta exposição a crédito.

Bernardo afirmou que os efeitos da crise na economia nacional ainda são pequenos e restritos ao mercado de crédito e à bolsa de valores. Bernardo exemplificou a afirmação mostrando dados como o crescimento de 6% da economia no primeiro semestre, acompanhado de uma taxa de incremento dos investimentos da ordem de 15,5%. “Acreditamos que, independente dos impactos da diminuição do crédito internacional, o Brasil tem garantido um crescimento acima dos 3,5% para 2009, acrescentou.

Além disso, o ministro apresentou dados que mostram forte expansão da indústria (6,7% em 12 meses), do comércio (9,8% no semestre) e citou a geração de mais de dois milhões de empregos neste ano.

 

PAC

Em relação aos investimentos em infra-estrutura, Bernardo reiterou que estão preservados os empreendimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). “É determinação do Presidente Lula e uma agenda prioritária para o Brasil, completou. Ele detalhou para uma platéia de empresários e representantes do governo italiano os cerca de 180 bilhões de euros (R$ 503 bilhões) que compõem o PAC.

Na avaliação do ministro, o PAC revelou-se capaz de impulsionar o crescimento da economia em 2007 e 2008 e, em 2009, será ema espécie de âncora para evitar que a economia tenha um recuo grande. “Entendemos que a missão do governo é minimizar os efeitos da crise mundial no Brasil   vamos fazer uma política anti-cíclica, na qual o PAC terá papel fundamental.

Bernardo enfatizou, ainda, os investimentos em transporte, destacando os estudos de implantação do trem de alta velocidade Rio - São Paulo, que vem atraindo o interesse de investidores europeus. “Vim aqui reforçar o interesse do governo brasileiro em atrair a expertise do empresariado italiano para investimentos em projetos de alta complexidade com trem de alta velocidade concluiu o ministro.

 

Copa do Mundo 2014

Um outro tema objeto de muitos debates no seminário foi a realização da Copa do Mundo de 2014 no Brasil. A prefeita de Milão, Letícia Moratti, comparou os investimentos que Brasil precisará fazer para a copa com os investimentos que Milão e Inglaterra farão para realizar a Expo 2015 e as Olimpíadas de 2012, respectivamente. “Conversei com o primeiro ministro inglês e calculamos que termos de fazer investimentos da ordem de 15 bilhões (euros) para atender esses eventos, afirmou a prefeita. A prefeita disse, ainda, que há interesse de vários grupos da Itália em investir na organização da Copa no Brasil. Bernardo concluiu dizendo que a Copa de 2014 certamente será uma grande oportunidade para investimentos privados no Brasil. “Acreditamos que daremos mais um salto rumo à infra-estrutura que precisamos para crescer sustentavelmente.