Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Bernardo diz que PAC recupera planejamento estratégico

Bernardo diz que PAC recupera planejamento estratégico

publicado:  26/06/2007 06h00, última modificação:  02/06/2015 16h21

Brasília, 26/6/2007 - O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, disse nesta terça-feira, 26.06, que o Programa de Aceleração do Crescimento – PAC recupera o planejamento estratégico do governo ao mirar projetos de longo prazo. Bernardo fez esta afirmação durante solenidade de abertura da 12ª Conferência de Ministros e Chefes de Planejamento da América Latina e do Caribe, que está sendo realizada em Brasília, no Palácio do Itamaraty.

 


Foto: Antonio Cunha/Divulgação.

 

Segundo Bernardo, o Brasil conviveu durante muitos anos com um período perverso de alta inflação que não permitia ao país planejar o seu futuro por ter que lidar apenas com ações de curto prazo, apesar de ter grande tradição de planejamento. Alta inflação, ciranda financeira, planos econômicos, tablitas, mudanças de moeda faziam parte do dia-a-dia do brasileiro, gerando incertezas e baixos índices de crescimento, disse o ministro.

 

Acrescentou que o país experimentou também períodos de grande crescimento econômico, mas com alta inflação que penalizava sempre a população mais pobre.  Hoje, depois de conquistada a estabilidade monetária, o país “faz esforço para retomar o processo de planejamento do nosso desenvolvimento em todos os aspectos”, destacou.

 

Segundo Bernardo, o Brasil cresceu nos anos 50 para o começo dos anos 80 uma média de 7% ao ano, chegando a crescer em alguns anos 12%. Nos últimos 25 anos, entretanto, disse o ministro do Planejamento, “nós temos tido um crescimento muito contido, muito aquém das nossas necessidades e praticamente nesse período nosso esforço foi todo consumido para debelar o processo inflacionário e resolver os problemas fiscais, o problema da dívida, assim como outros países da região”.

 

Destacou que a partir da estabilidade da moeda em 1994, com o Plano Real, a situação da inflação sob controle, o Brasil agora tem que fazer um esforço para aumentar os investimentos que atingiram o patamar mínimo de meio ponto percentual do PIB quatro anos atrás e por isso estamos fazendo todo o esforço de recuperar nossa capacidade de investimento, afirmou Bernardo.

 

Disse ainda que o governo Lula no primeiro mandato conseguiu elaborar políticas que significaram uma redução efetiva na desigualdade social do país, mas é preciso um grande esforço para pensar o país no mais longo prazo e ampliar os investimentos que é o objetivo do PAC.

 

Bernardo falou da importância de discutir alternativas e iniciativas conjuntas para a integração dos países da região da América do Sul e do Caribe.

 

A REUNIÃO

 

A 12ª Conferência de Ministros e Chefes de Planejamento da América Latina e do Caribe e a 13ª Reunião do Conselho Regional de Planejamento são reuniões que ocorrem a cada quatro anos, promovidas pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe – CEPAL e pelo Instituto Latino-Americano e do Caribe de Planejamento Econômico e Social – ILPES.

 


Foto: Antonio Cunha/Divulgação.

 

O tema central deste ano é “O Desenvolvimento territorial nos países da região”.