Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Banco Central lança portal de dados abertos

Notícias

Banco Central lança portal de dados abertos

Agora, já são cinco os órgãos do Governo Federal que aderiram à transparência ativa
publicado:  25/11/2016 16h37, última modificação:  01/12/2016 19h41

Mais um passo foi dado no sentido de tornar o governo federal mais transparente e acessível. O Banco Central do Brasil lançou seu portal de dados abertos. O sítio trará indicadores de crédito, de finanças públicas e de atividades econômicas produzidas pelo Banco Central do Brasil em formato aberto, de fácil localização e de livre utilização.  O BCB é o quinto órgão governamental a fazer um portal do tipo.

“A disponibilização das bases de dados em formato aberto”, conforme esclarece Aloísio Tupinambá, chefe da Ouvidoria do Banco Central, “permitirá o uso, reuso e consumo sistemático de dados em escala. Isso favorecerá a integração e o cruzamento com outras bases de dados também em processo de adequação no âmbito do governo, e com os originados de outras fontes (internacionais, privadas etc)”.
 
A iniciativa do Banco integra uma série de esforços para a publicação de dados governamentais em formato aberto. Capitaneado pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP), o Portal Brasileiro de Dados Abertos (dados.gov) reúne informações como, por exemplo, os planos de dados abertos já publicados pelas instituições da Administração Pública Federal.

Em formato aberto, uma informação pode ser utilizada para produzir cruzamentos. “Com as informações do Banco Central podemos, por exemplo, fazer um cruzamento de indicadores econômicos com localização geográfica. As possibilidades são infinitas”, destaca Marcelo Pagotti, secretário de Tecnologia da Informação do MP.

O Portal de Dados Abertos do Banco Central já tem  454 conjuntos de dados publicados, com destaque para os indicadores de crédito, de finanças públicas, de inclusão financeira, setor externo e atividade econômica.


“Propiciar maior acesso a dados de interesse público contribui para a melhoria da gestão e do controle social, além de favorecer o desenvolvimento de novas tecnologias e a ampliação da oferta de serviços públicos ao cidadão”, concluiu Tupinambá.