Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Acordo reduzirá gastos do governo com telefonia

Notícias

Acordo reduzirá gastos do governo com telefonia

Objetivo é ampliar uso de telefonia pela internet, utilizando tecnologia VoIP
publicado:  14/12/2016 16h04, última modificação:  15/12/2016 10h01


O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP) e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) assinaram, na tarde desta quarta-feira (14), Acordo de Cooperação Técnica para estabelecer o compartilhamento de rede de telefonia pela internet. Ao incentivar e ampliar o uso da tecnologia Voz sobre IP (VoIP), o governo federal espera reduzir os seus custos com chamadas locais e a distância.

Pelo acordo, o MP vai compartilhar a sua rede de telefonia Infovia VoIP – um serviço da Infovia Brasília – com a estrutura de telefonia VoIP da RNP, a Fone@RNP. “É um passo importante para a Infovia. Nós temos que expandir e aproximar tecnologias que melhorem a gestão e que impactem em um melhor atendimento da população brasileira”, afirma Marcelo Pagotti, secretário de Tecnologia da Informação do MP. O acordo foi firmado pelo prazo de 60 meses e não envolve transferência de recursos.

Construída em 2004, a Infovia Brasília é infraestrutura de fibras óticas com o objetivo de fornecer, aos órgãos do governo federal situados em Brasília, um conjunto de serviços e funcionalidades em ambiente seguro. Sua utilização proporciona significativa redução dos custos de comunicação e um ambiente capaz de servir de suporte à implementação das políticas públicas. Atualmente, a Infovia Brasília é utilizada por 90 órgãos em mais de 200 pontos no Distrito Federal.

“Estar conectado com a Infovia vai beneficiar todas universidades e institutos federais que utilizam a
Fone@RNP”, diz Nelson Simões da Silva, diretor-geral da RNP. Somente nesta rede de telefonia VoIP, a previsão de economia para 2016 é de R$ 3 milhões. A Fone@RNP inclui instituições de todo o Brasil que participam do projeto Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa (Redecomep), do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Atualmente, a rede é composta por 280 pontos espalhados pelo país.