Você está aqui: Página Inicial > Áudios > NEGOCIAÇÃO SALARIAL

NEGOCIAÇÃO SALARIAL

publicado:  07/10/2015 16h23, última modificação:  07/10/2015 16h23
Governo federal assina acordos salariais com 750 mil servidores
Transcrição do Áudio

 LOC/REPÓRTER: Mais duas categorias de servidores públicos federais assinaram na última terça-feira, acordos salariais com o governo federal. Foram os fiscais agropecuários e os servidores técnico-administrativos das universidades. Com isso, chega a seis o número de acordos assinados este ano. A vigência dos acordos será de dois anos, e não em quatro, como na proposta original. Assim, ao invés do índice de 21,3% dividido em quatro parcelas anuais, os servidores representados pelas entidades que já fecharam acordo vão ter reajuste 5,5% em agosto de 2016 e 5% em janeiro de 2017. Também foram reajustados os benefícios sociais, a partir de janeiro de 2016, conforme explica o secretário de Relações de Trabalho, Sérgio Mendonça.

TEC/SONORA: Secretário de Relações de Trabalho - Sérgio Mendonça

“Bom, são três benefícios basicamente.  O auxílio-alimentação, o auxílio-saúde e o auxílio pré-escolar, mais conhecido como auxílio creche . Nos três casos nós usamos o critério de corrigir pela inflação, inclusive estimando a inflação de 2015 para corrigi-los a partir de janeiro de 2016.”

LOC/REPÓRTER: O auxílio-alimentação vai passar dos atuais R$ 373 para R$ 458; no auxílio-creche, que não era corrigido desde 1999, o valor médio per capita vai passar de R$73,07 para R$ 321; e o auxílio-saúde, que tem o valor médio de R$117 por pessoa, vai passar para R$145. Sérgio Mendonça destaca ainda que a negociação nesse período de ajuste fiscal precisou levar em consideração as condições econômicas do país, mas avalia que o saldo do debate foi positivo.

TEC/SONORA: Secretário de Relações de Trabalho - Sérgio Mendonça

“No setor privado você está vendo aí, infelizmente, a elevação do desemprego, queda da renda real, e aqui no setor público, com a preservação do emprego, pela estabilidade, houve uma compreensão também das entidades que representam os servidores em fazer um acordo que está dentro das previsões de manter a relação da despesa de pessoal em relação ao PIB mesmo num momento em que o PIB está se retraindo.

LOC/REPÓRTER: A expectativa do governo federal é concluir as negociações com todos os servidores até o final de outubro. 

Download do Áudio