Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Programa de Investimento em Logística - PIL > Notícias > Portos e ferrovias no Brasil podem atrair investimento russo

Notícias

Portos e ferrovias no Brasil podem atrair investimento russo

Em encontro com Putin, Dilma ressalta Programa de Investimento em Logística (PIL) como oportunidade

publicado:  09/07/2015 19h52, última modificação:  01/09/2015 19h48

O setor de infraestrutura no Brasil representa uma grande oportunidade de investimento, nos próximos anos, para empresas da Rússia. A presidenta Dilma Rousseff esteve nesta quarta-feira (8) com o presidente russo Vladimir Putin, na cidade de Ufa, onde se realiza a 7ª Cúpula dos BRICS. Segundo ela, há grandes oportunidades na economia brasileira com a nova etapa do Programa de Investimento Logística (PIL), lançada em junho.

“Temos também grande interesse em ampliar os nossos investimentos recíprocos. O Brasil tem agora uma oportunidade ímpar, com o seu plano de investimento em logística, de atrair empresas russas, que são grandes especialistas, tanto em portos como em ferrovias”, afirmou Dilma, que teve um jantar com Putin e participa da reunião do BRICS nesta quinta-feira (9).

Para Dilma Rousseff, a Rússia e o Brasil devem desenvolver o comércio bilateral, que tem potencial de crescimento tanto de exportações como de importações. “Nós devemos continuar trabalhando para atingir a meta dos US$ 10 bilhões no fluxo do nosso comércio”, ressaltou a presidenta, que apenas nos últimos meses recebeu o primeiro-ministro da China em Brasília e visitou o México e os Estados Unidos.

A presidenta parabenizou Putin pela organização da cúpula dos Brics. Segundo ela, o momento é especial principalmente pela conclusão do processo do Tratado para o Estabelecimento de um Arranjo Contingente de Reservas dos BRICS (CRA), que entrou em vigor na semana passada. Trata-se de um fundo de US$ 100 bilhões para o caso de um dos cinco países do grupo ter problemas de financiamento externo.  

“É um momento especial nessa sétima Cúpula, porque se consolida o grupo BRICS”, disse Dilma, durante reunião bilateral com Putin. A relação Brasil-Rússia, segundo ela, vem se destacando na área de ciência e tecnologia. Em 2004, foi estabelecida uma parceria estratégica nesse setor entre o governo russo e o governo brasileiro.

“Para nós, são prioridades importantes, na nossa relação bilateral, a adesão à missão Aster; a cooperação comercial e na área de parceria sobre lançamento de satélite”, enfatizou.

A primeira Missão Brasileira de Espaço Profundo (Aster) é um projeto da Agência Espacial Brasileira (AEB) com várias institucionais. A presidenta acrescentou que o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, está participando da visita à Rússia para aproximar ainda mais as áreas científicas brasileira e russa.

Fonte: Portal Brasil e Blog do Planalto.