Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Programa de Investimento em Logística - PIL > Notícias > Ministro apresenta projetos de investimento a empresários pernambucanos

Notícias

Ministro apresenta projetos de investimento a empresários pernambucanos

O objetivo é apresentar a estratégia de recuperação de crescimento da economia do país e ouvir os empresários.

publicado:  21/08/2015 19h49, última modificação:  24/08/2015 10h44

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, participou de reunião com empresários de Pernambuco, nesta sexta-feira (21/08), juntamente com a presidenta Dilma Rousseff, os ministros do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, da Agricultura, Kátia Abreu, e do Desenvolvimento Social, Tereza Campello. Barbosa apresentou os projetos previstos para o estado pela segunda etapa do Plano de Investimento em Logística (PIL) e pelo o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Esse foi o segundo de uma série de encontros que o governo federal está promovendo nos estados. A primeira reunião ocorreu na semana passada, em Salvador.

21082015_REUNIÃO COM EMPRESÁRIOS DE PERNAMBUCO.jpg

Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Durante encontro, o ministro destacou que o realinhamento de preços gera impactos tanto no aumento da inflação, quanto na queda da atividade econômica. Mas ressaltou que esse processo abre novas oportunidades, que podem ser analisadas em três etapas. A primeira fase já começou, com o aumento progressivo do saldo comercial brasileiro, por meio da exportação. No entanto, de acordo com o ministro, essa retomada sozinha não é capaz de “puxar” a economia como um todo. 

A segunda etapa está vinculada à criação de bases para alavancar um novo ciclo de investimento privado, especialmente por meio do Programa de Investimento em Logística (PIL). A terceira fase está calcada no aumento do consumo das famílias que, para ser recuperado, precisa contar com a queda da inflação e com o aumento da previsibilidade econômica. Para Barbosa, esse processo vai permitir o recuo dos juros e a retomada do ciclo de oferta de crédito.

O ministro destacou ainda a importância do aumento da produtividade para a retomada do crescimento econômico e do investimento. Ele ressaltou a necessidade de reformas institucionais como, por exemplo, medidas para melhorar a regulação e para a simplificação tributária.

Barbosa lembrou ainda que, mesmo com a adequação das metas do governo à nova realidade econômica, o governo continuará priorizando os programas como o Minha Casa, Minha Vida, o Projeto de Integração do Rio São Francisco, e os projetos de Mobilidade Urbana e de Saneamento.   

 PIL em Pernambuco

 O ministro Nelson Barbosa apresentou o PIL aos empresários, especialmente as oportunidades de investimento no estado. A segunda etapa do PlL prevê R$ 6,5 bilhões para Pernambuco. Na BR-101/232/PE, os investimentos envolvem a construção do Arco Metropolitano do Recife, melhoria do acesso ao Porto de Suape e duplicação do trecho até Cruzeiro do Nordeste. Foram emitidas 23 autorizações para realização de estudos de viabilidade, técnica, econômica e ambiental destas obras.

No porto de Suape serão realizados arrendamentos de terminais para grãos, granéis, minerais, contêineres e carga geral. Em Ipojuca, já está em análise a exploração do Terminal de Uso Privativo (TUP) Estaleiro Promar com investimento previsto de R$ 250 milhões.

PAC

Já o PAC prevê R$ 39,9 bilhões para Pernambuco entre 2015 e 2018. Na área logística, serão destinados R$ 3,8 bilhões para obras na Ferrovia Nova Transnordestina, BR-101, BR-104, BR-423, Arco Metropolitano de Recife e no Porto de Suape. Os aeroportos de Araripina, Afogados da Ingazeira, Arcoverde, Caruaru, Fernando de Noranha, Garanhuns, Recife, Salguerio, Serra Talhada contarão com R$ 28,2 milhões. O PAC Energia destinará R$ 21,5 bilhões para linhas de transmissão, subestações, indústria naval, refinaria de petróleo e gás natural e usinas eólicas.

 A infraestrutura social e urbana do estado terá R$ 8,3 bilhões destinados a obras de mobilidade urbana, saneamento, abastecimento de água, urbanização de assentamentos, pavimentação, prevenção de áreas de risco e equipamentos sociais (UPA, UBS, creches, pré-escola, quadras, praças dos esportes e da cultura).

Outros R$ 3,3 bilhões serão utilizados no PAC Recursos Hídricos para obras do Projeto de Integração da Bacia do São Francisco; adutoras do Agreste, Pajeú e do Oeste; perímetro de irrigação Nilo Coelho, Pontal, Moxotó e Bebedouro, entre outras.

Acesse a apresentação do ministro.