Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Planejamento > Orçamento > Notícias > Orçamento 2008 prevê R$ 92 bilhões de investimentos

Notícias

Orçamento 2008 prevê R$ 92 bilhões de investimentos

publicado:  20/04/2015 14h21, última modificação:  20/04/2015 14h21

 


Apresentação

 
 

Brasília, 31/8/2007 - O Projeto de Lei Orçamentária para 2008, encaminhado pelo governo federal ao Congresso Nacional nesta sexta-feira, 31.08, prevê R$ 92 bilhões de investimento para o ano que vem, sendo R$ 30 bilhões do orçamento fiscal e seguridade e R$ 62 bilhões das estatais federais.


Foto: Agência Brasil -Abr/divulgação.

Ao apresentar à imprensa os números do Projeto de Lei do Orçamento 2008, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, destacou a importância dos investimentos, principalmente os contidos no PAC para a economia brasileira. Bernardo ressaltou os números do PAC para 2008 serão de R$ 18 bilhões em comparação com os R$ 15,7 bilhões de 2007.


Foto: Andre Brasil/Divulgação.

Segundo Bernardo, o valor de R$ 407,33  para o salário mínimo contido no PLO2008 reflete a proposta enviada ao Congresso Nacional como regra para o salário mínimo e preve o reajuste da inflação mais um aumento real igual ao crescimento da economia de 2 anos atrás.“É o que foi combinado e estamos cumprindo”, disse Bernardo e acrescentou: “Estamos fazendo uma política de recuperação do salário mínimo para durar até 2023, com revisão a cada 4 anos, no início de cada governo. Vai melhorar o salário mínimo e é compatível com as despesas da previdência.  Então, me parece bem sólida e sustentavel esta proposta”.

O ministro destacou que o Orçamento Geral da União para 2008 reflete de maneira real aquilo que o governo se propõe a fazer no próximo ano que é promover o crescimento econômico com distribuição de renda e priorizando a educação de qualidade.


Foto: Andre Brasil/Divulgação.

Segundo Bernardo, a área de educação terá R$ 3,7 bilhões a mais que em 2007, passando de R$ 9,6 bilhões para R$ 12,7 bilhões, exceto despesas de pessoal, enquanto a saúde terá um total de R$ 42,5 bilhões no próximo ano em comparação com R$ 39 bilhões de 2007.

O ministro disse que a receita total prevista no PLO 2008 é de R$ 682,7 bilhões, um crescimento de 12,1% em relação a 2007, equivalente a 24,87% do PIB, cujo valor nominal apresentado é de R$ 2,744 trilhões para 2008.

O resultado primário do setor público refletido na proposta orçamentária será de 2,2% do PIB para o governo central sem considerar o abatimento relativo ao Projeto Piloto de Investimentos – PPI, ou R$ 60,4 bilhões em valores nominais.

Do lado da despesa, o maior valor é a despesa da previdência que deve crescer 9% em relação a 2007, atingindo R$ 198,7 bilhões, seguido da despesa de pessoal que deverá ser de R$ 130 bilhões, um crescimento de 10% se comparado com o estimado para este ano.

Com relação ao questionamento do crescimento da carga tributária, Paulo Bernardo lembrou que o governo fez vários movimentos de desonerações que já somam 30 bilhões este ano e destacou a lei das micro e pequenas empresas como “uma mini reforma tributária”. Adiantou que dentro em breve o ministro da Fazenda, Guido Mantega, estará encaminhando a proposta de reforma tributária que “será uma lei simplificadora nos moldes do super simples para todas as empresas”.