Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Planejamento > Orçamento > Notícias > Ministério apresenta projeto de diretrizes orçamentárias para 2013

Notícias

Ministério apresenta projeto de diretrizes orçamentárias para 2013

publicado:  20/04/2015 11h21, última modificação:  20/04/2015 11h21

Áudio da Entrevista:


Brasília, 13/4/2012 - A ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, anunciou nesta sexta-feira (13), os dados básicos do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2013 (PLDO 2013), encaminhado para análise do Congresso Nacional. Pelo projeto, o Governo prevê reajuste de 7,3% no Salário Mínimo, que deverá saltar de R$ 622 para R$ 667,75 no próximo ano, com impacto de R$ 17,2 bi nas despesas da Previdência Social.


Fotos: Ilkens Souza/Divulgação

O PLDO 2013 prevê como prioridades o Plano Brasil Sem Miséria e o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), dentro do qual está o programa Minha Casa, Minha Vida. “São investimentos que são fundamentais para o desenvolvimento do país, pois geram emprego,  renda e têm efeito extremamente positivo para o nosso crescimento, argumentou a ministra.

Segundo Miriam Belchior, o Brasil está entre os poucos países no mundo que crescerão em 2012 mais do que no ano passado, e que este crescimento se manterá em 2013, como resultados das políticas econômicas adotadas pelo Governo.

“Consideramos que temos condições de responder à instabilidade e à incerteza internacional, por conta do nosso mercado interno dinâmico, com seguidos recordes de geração de emprego e renda – vide o aumento recorde do salário mínimo, menos dependência do mercado externo, com diversificação dos parceiros internacionais, somados aos grandes programas de investimentos e ao acúmulo de reservas, listou.

O PLDO 2013 prevê superávit primário nominal de R$ 155,9 bilhões, com manutenção da meta em 3,1% do PIB, como vem ocorrendo nos últimos anos. O objetivo do Governo é reduzir a dívida líquida do setor público, que era de 60,4% do PIB em 2002, para 27,4% do PIB em 2015.

“Vamos continuar a trajetória de queda da dívida líquida do setor público. Acreditamos que ainda é preciso consolidar em um patamar mais baixo a nossa dívida pública, e por isso daremos continuidade às políticas fiscal e monetária, de maneira muito sintonizada, nos rendendo frutos importantes no controle da inflação e na redução da taxa de juros. É importante observar que, nos últimos 10 anos, estamos conseguindo alcançar este objetivo com sucesso, lembrou a ministra.

Parâmetros macroeconômicos

A inflação prevista para 2013, 2014 e 2015 é de 4,5% ao ano, com a taxa de juros caindo 0,5% ao ano, chegando a 9% em 2013, 8,5% em 2014 e 8% em 2015. “Alcançamos o objetivo de manter a inflação dentro da meta, em trajetória descendente. Acreditamos que temos condição de chegar ao centro da meta em 2013, afirmou Miriam Belchior, que comentou, ainda, a previsão de crescimento da economia.



“Projetamos crescimento de 4,5% do PIB para 2012 e 5,5% para 2013, sustentado pelas medidas tomadas pelo Governo, como a política de aumento do salário mínimo, a desoneração tributária ao setor produtivo e a ampliação do crédito, fundamentais para garantir o crescimento, e cujo resultado já veremos no segundo semestre deste ano, e que será acelerado em 2013.

Economia mundial

Ao comentar o cenário econômico mundial, a ministra Miriam Belchior apontou que o Governo prevê alguma recuperação em 2013. “O menor crescimento da economia mundial está conjugado com uma modesta recuperação da economia americana e baixo crescimento europeu. Os que mais crescerão em 2013 serão os países emergentes.

Estimativas do PLDO mostram que Brasil, Austrália, Japão, Índia e Estados Unidos crescerão em 2012 – ainda que pouco – mais do que em 2011. “Para 2013, a previsão é de recuperação, ainda que leve, puxada pelos países emergentes, com os países desenvolvidos ainda com freio de mão puxado, analisou a ministra.