Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Planejamento > Orçamento > Notícias > Investimento de 2005 bate recorde e chega a R$ 18,4 bilhões

Notícias

Investimento de 2005 bate recorde e chega a R$ 18,4 bilhões

publicado:  20/04/2015 11h21, última modificação:  20/04/2015 11h21

 

 

 


Apresentação Execução Orçamentária
2005


 
   
Brasília, 5/1/2006 - Os investimentos federais bateram recorde em 2005 atingindo o montante de R$ 18,4 bilhões, um crescimento de 60% em relação ao realizado em 2004 (R$ 11,2 bilhões) e quase o triplo do executado em 2003 que foi de R$ 6,5 bilhões.

Segundo o Ministro Interino do Planejamento, João Bernardo Bringel, o governo terá capacidade de pagar entre R$ 14 e R$ 15 bilhões dos investimentos em 2006, superior ao montante de R$ 11,5 bilhões pagos em 2005.

O limite total de custeio e investimento do orçamento de 2005 ficou em R$ 82,8 bilhões, tendo sido empenhados R$ 82,2 bilhões, o que mostra execução de quase 100% do limite dado aos órgãos da administração pública federal. Desse total, R$ 67, 4 bilhões foram liquidados e R$ 73,9 bilhões pagos, aí incluídos restos a pagar de anos anteriores.

O governo vem trabalhando desde 2003 para recuperar a capacidade de investimento público com o objetivo de promover a modernização e ampliação da infra-estrutura econômica do país. É considerada fundamental a eliminação dos obstáculos ao crescimento a fim de aumentar a competitividade da economia brasileira, prejudicada em grande parte pelo mau estado de conservação das estradas e falta de capacidade dos portos.

O primeiro ano do governo Lula foi marcado pela necessidade de promover um forte ajuste fiscal nas contas públicas a fim de recuperar a credibilidade, controlar a inflação crescente e diminuir o risco Brasil. Assim, o ano de 2003 teve um nível baixo de investimento que começou a ser recuperado em 2004 com o Projeto Piloto de Investimentos - PPI, um conjunto de projetos estratégicos que ficam fora do cálculo do superávit primário. Só nesses projetos, basicamente de infra-estrutura, foram investidos R$ 3,5 bilhões em 2005, ou seja, 100% do valor previsto para empenho.

Os investimentos diretos em rodovias em 2005 atingiram R$ 4,5 bilhões, comparado com a média de R$ 1,5 bilhão dos últimos 5 anos, o que mostra a prioridade do governo em recuperar as estradas no Brasil.

Ainda em se tratando de estradas, foi liberado através de Medida Provisória publicada dia 03.01, crédito extraordinário no valor de R$ 350 milhões do orçamento de 2006 que se somam a R$ 90 milhões do orçamento de 2005 já empenhados. Esses recursos serão utilizados na redução de pontos críticos das rodovias federais, principalmente as repassadas aos Estados no final de 2002 e se encontram sem condições de trafegabilidade.

Ainda no setor de infra-estrutura o Estado brasileiro retomou os investimentos em ferrovias, suspenso desde a privatização das linhas da Rede Ferroviária Federal. Incluída no Projeto Piloto de Investimentos, a Ferrovia Norte-Sul recebeu recursos em 2005 de R$ 324 milhões que, inscritos em restos a pagar, poderão começar o ano de 2006 sendo executados.

Segundo Bringel, “não será possível concluir em um ano ferrovias de grande porte como a Ferrovia Norte-Sul ou a Transnordestina, mas com certeza deixaremos trechos prontos”, garantiu.