Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Planejamento > Orçamento > Notícias > Governo investirá mais em saúde, educação e combate à miséria

Notícias

Governo investirá mais em saúde, educação e combate à miséria

publicado:  20/04/2015 11h21, última modificação:  20/04/2015 11h21

Salário mínimo subirá para R$ 788,06 em 2015, crescimento de 8,8%

Para 2015, o salário mínimo será de R$ 788,06, valor 8,8% superior. A previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) é de 3% e a meta de inflação (IPCA) de 5%. Os dados constam do Projeto de Lei Orçamentária Anual para o próximo ano (PLOA 2015), entregue nesta quinta-feira (28) ao Congresso Nacional, e anunciados pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior, e pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega.


Foto: Ilkens Souza/Divulgação/MP

As áreas da saúde e da educação estão entre as prioridades para 2015 e receberão recursos superiores à aplicação constitucional. A saúde contará com R$ 109,2 bilhões, crescimento de 8,9% em relação a 2014. Um adicional de quase R$ 10 bilhões em relação ao exigido pela Constituição Federal. Para educação serão destinados R$ 101,3 bilhões (+9,65). O montante é quase o dobro do previsto pela Constituição, ou seja, adicional de R$ 49,9 bilhões.

O Programa de Aceleração do Crescimento – incluindo o Minha Casa, Minha Vida – contará com R$ 64,9 bilhões (+2,7%) em 2015. Já para o Brasil Sem Miséria estão previstos R$ 33,1 bilhões (+4,4%).

Para a ministra Miriam Belchior, a PLOA reflete a prioridade do governo em reforçar investimentos sociais e em infraestrutura, de forma a conciliar crescimento econômica com justiça social. "Para saúde e educação estamos investindo mais que a obrigação constitucional", disse.

A receita primária prevista para 2015 é de R$ 1,465 trilhão, sendo R$ 230 bilhões para transferências constitucionais. A receita líquida alcançará R$ 1,235 trilhão, crescimento de 21,5% em relação ao esperado para 2014. A despesa primária deve somar R$ 1,149 trilhão, com meta cheia de superávit estipulada em R$ 114,7 bilhões ou 2% do PIB.

"Esperamos um cenário econômico melhor para 2015, com problemas conjunturais superados. O Brasil é um dos poucos países no mundo que está enfrentando a crise mundial com crescimento da renda e do emprego", destacou Guido Mantega.

O orçamento de investimentos alcançará o volume de 183,3 bilhões, sendo R$ 64,9 bilhões do PAC e R$ 105,7 bilhões às estatais.

Para saber mais detalhes sobre o Projeto de Lei Orçamentária Anual para 2015, acesse a íntegra da apresentação feita pelos ministros, Miriam Belchior e Guido Mantega.