Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Patrimônio da União > Notícias > Grupo inglês assume o Hotel Cataratas

Notícias

Grupo inglês assume o Hotel Cataratas

publicado:  25/09/2007 06h00, última modificação:  28/05/2015 13h09

Brasília, 25/9/2007 – O Hotel Cataratas, em Foz do Iguaçu, no Estado do Paraná, de propriedade da União, foi arrendado por R$ 868 mil/mês, pelo prazo de 20 anos, pela empresa Participações São Matheus, do grupo hoteleiro inglês Oriente Express. O arrendamento será superior ao preço mínimo, de R$ 428 mil previsto na licitação.

O contrato do novo arrendamento foi assinado nesta terça-feira, 25, pelos ministros Paulo Bernardo (Planejamento), Marta Suplicy (Turismo), pelo procurador Luiz Inácio Adams (Procuradoria Geral da Fazenda Nacional) e pelo arrendatário, Philip Steven Carruthers.


Foto: Antonio Cunha/Divulgação

A solenidade também contou com a participação do ministro interno do Meio Ambiente, João Paulo Capobianco, da secretária do Patrimônio da União,

Alexandra Reschke, do gerente regional do Patrimônio da União no Paraná, Dinarte Vaz, do prefeito municipal de Foz Iguaçu, Paulo Mac Donald Ghisi e do diretor do Parque Nacional do Iguaçu, Jorge Luiz Pegoraro, além de outras autoridades do Paraná e de Brasília.

Paulo Bernardo, disse que “o Hotel das Cataratas é uma jóia do ponto de vista do Patrimônio da União” em torno da qual foi realizado um trabalho de muita articulação com os Ministérios do Meio Ambiente e do Turismo e também com o Ministério Público do Paraná, visando incrementar o turismo em Foz do Iguaçu de forma sustentável nos aspectos ambiental e econômico.

O novo grupo administrador terá a obrigação de estabelecer parceria com o Ibama e investir em torno de R$ 5 milhões em melhorias no parque, incluindo apoio total a projeto de pesquisa sobre o comportamento dos felinos, orçado em R$ 1,2 milhões, determinado como medida de segurança para humanos e animais.

Também será por conta do arrendatário que assume o hotel a realização de obras no prédio, com investimento em melhorias de, no mínimo, R$ 18,9 milhões, totalizando um gasto de R$ 25,6 milhões. O contrato de arrendamento prevê ainda seguro de risco de engenharia, risco de incêndio e de acidentes provocados por fatores climáticos.

Para a Secretária do Patrimônio da União (SPU), Alexandra Reschke, o arrendamento do hotel representa o coroamento de um trabalho de equipe do Governo Federal, centrado no compromisso com a transparência e a qualificação dos serviços que oferece. “Com esse desfecho estamos permitindo que esse belo patrimônio, que é o Hotel das Cataratas, cumpra a sua vocação de acolher em nosso país os povos visitantes”.

A ministra do Turismo, Marta Suplicy, disse que o Hotel das Cataratas deverá estar em breve entre os melhores empreendimentos do setor hoteleiro internacional. “Considero importante esse trabalho articulado com a necessidade de preservação do Parque Nacional do Iguaçu e esperamos que seja a primeira de muitas iniciativas do gênero”, disse a ministra, ao anunciar que o governo pretende transformar parques nacionais em parques turísticos que se tornem referência, em termos de exploração sustentável.

A empresa São Matheus, vencedora da concorrência para administrar o Hotel das Cataratas assinou contrato de acordo com o que determina a lei 8666/93, que rege as licitações. A área arrendada totaliza 201 mil m2 entre hotel e dependências. A área construída do hotel é de 15,7 mil m2.

O processo licitatório do Cataratas teve a duração de quatro anos, tendo em vista a complexidade do edital, por envolver bens do Patrimônio da União (hotel e parque), e por tratar-se de imóvel em área de preservação ambiental. Tanto que uma das particularidades do edital diz respeito a exigir da empresa arrendatária a observância do plano de manejo do parque e de todas as normas do Ibama para qualquer tipo de atividade na área. Nisso está implícito que os funcionários do hotel também deverão cumprir rigorosamente a legislação e demais disposições de preservação do meio ambiente.

Do ponto de vista de atrativo para o turismo, historicamente, o Hotel Cataratas que já é um hotel-âncora na região, com lotação de sua capacidade em mais de 80% relativamente aos demais hotéis locais – com todas as novas medidas recomendadas no atual contrato de arrendamento – irá subir de posição. Além disso, é pretensão do novo arrendatário (mesma rede que administra o Copacabana Palace no Brasil) transformar o hotel em mais um “hotel de charme” do mundo – designação usada para empreendimentos de categoria superior a cinco estrelas. O ingresso desse novo perfil de turista no Hotel Cataratas deverá deslocar as atuais demandas de clientela para os outros hotéis de Foz do Iguaçu, provocando o incremento do turismo na região.