Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Tecnologia da Informação > Notícias > Sociedade civil produz aplicativos a partir de dados governamentais

Notícias

Sociedade civil produz aplicativos a partir de dados governamentais

publicado:  16/04/2015 15h20, última modificação:  16/04/2015 15h20

Portal Brasileiro de Dados Abertos reúne soluções desenvolvidas por usuários

 

Brasília, 16/1/2013 – Números do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), dados sobre as reclamações enviadas ao Procon, entre outros, estão disponíveis no Portal Brasileiro de Dados Abertos. Acessível para o grande público há pouco menos de um ano, desde abril de 2012, o sitio conta 84 conjuntos de dados com 1042 recursos. O grande atrativo, entretanto, são os aplicativos,desenvolvidos pelos próprios usuários do portal.

O Portal Brasileiro de Dados Abertos, mais conhecido como dados.gov.br, disponibiliza informações de várias instituições governamentais, sempre em formato aberto. Os aplicativos desenvolvidos a partir de tais informações já são 15 e têm perfis variados. Alguns trazem a atuação de vereadores e deputados, permitindo que o eleitor acompanhe a atuação de seus eleitos. Há, inclusive, um mapa dos acidentes de trabalho no Brasil de 2002 a 2009, desenvolvido com base no anuário estatístico de acidentes de trabalho. “As possibilidades de utilização das informações são infinitas. Os dados sobre obras do PAC, por exemplo, já estão disponíveis, explicou o técnico Augusto Herrmann, um dos responsáveis pelo portal. 

O portal é gerenciado pelo Ministério do Planejamento (MP) e tem o objetivo de funcionar como uma referência de catálogo de dados do governo federal. A intenção é que, com o incentivo da Lei de Acesso à Informação, mais e mais instituições governamentais disponibilizem seus dados em formato aberto. Entretanto, o manuseio de alguns instrumentos e a criação de aplicativos exige certa intimidade com programação ou, no mínimo, análise de dados.

O que é um dado aberto - Para que seja considerado aberto, um dado deve atender a três quesitos: estar na internet, ser editável – estar em um formato estruturado como, por exemplo, uma planilha ao invés de uma tabela em PDF-, e não estar submetido a restrições autorais que ultrapassem a necessidade de creditar a autoria.