Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Tecnologia da Informação > Notícias > SLTI realiza audiência pública sobre nova versão dos Padrões e-PING

Notícias

SLTI realiza audiência pública sobre nova versão dos Padrões e-PING

publicado:  16/04/2015 15h19, última modificação:  16/04/2015 15h19

Brasília, 24/10/2007 - O secretário de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) do Ministério do Planejamento, Rogério Santanna, abriu a audiência pública dos Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico (e-PING) na tarde desta quarta-feira, dia 24, no Auditório da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev), em Brasília.

O evento debateu a versão 2.9 dos padrões e-ping e também recebeu sugestões através da consulta pública disponível no endereço https://www.governoeletronico.gov.br/consulta-publica. As contribuições consideradas pertinentes nesse processo serão incorporadas à versão 3.0 que deverá ser publicada até o final do ano.

Os Padrões e-PING permitem um fluxo contínuo de informação entre o governo e a sociedade, contribuindo para oferecer melhores serviços aos cidadãos. Essa arquitetura possibilita que mesmo sistemas de informação com aplicações diferentes e desenvolvidos em épocas distintas possam gerar e trocar informações em tempo real.

O secretário de Logística e Tecnologia da Informação lembrou casos muito bem sucedidos nessa área como a integração das bases criminais dos estados brasileiros ao Sistema Infoseg, do Ministério da Justiça. Com a adoção dos Padrões e-PING essas bases passaram a ser atualizadas on-line com consultas disponíveis 24 horas por dia.

Foram integradas informações da Segurança Pública, da Justiça e dos órgãos de fiscalização referentes a indivíduos criminalmente identificados, armas de fogo, veículos, condutores, entre outros. Os custos que inicialmente estavam orçados de R$ 4 bilhões na compra de equipamentos, softwares e pagamento de licenças caíram para R$ 8,5 milhões.

Santanna destacou na ocasião que a interoperabilidade entre sistemas reduz os custos do país e facilita a vida dos cidadãos. Também salientou a importância do engajamento das empresas públicas nesse processo como o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) e Dataprev que gerenciam sistemas essenciais do Governo Federal. A folha de pagamento da Dataprev, por exemplo, supera os vinte milhões de beneficiários ao mês.

Segundo ele, o alinhamento dos serviços de governo eletrônico às necessidades dos cidadãos pode reduzir o Custo Brasil. O ganho de eficiência no atendimento dessa demanda pode chegar a 1,5% do Produto Interno Bruto do país, conforme mostrou pesquisa realizada nessa área.

Também participaram da mesa de abertura do evento representantes do Serpro, Dataprev e do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação.