Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Tecnologia da Informação > Notícias > Servidores públicos conhecem as inovações do sistema de passagens

Notícias

Servidores públicos conhecem as inovações do sistema de passagens

publicado:  16/04/2015 15h20, última modificação:  16/04/2015 15h20

As melhorias no sistema poderão ser utilizadas por todos os órgãos a partir de janeiro de 2014.

Brasília, 07/10/2013 – Cerca de 560 gestores e servidores públicos participam a partir desta segunda-feira, 7, em Brasília, de capacitação sobre as inovações no Sistema de Concessão de Diárias e Passagens (SCDP). A formação aborda a parte operacional do sistema, entre as quais: introdução de novas funcionalidades, fixação das ações vinculadas e indicação padronizada das regras legais. O SCDP é gerenciado pelo Ministério do Planejamento (MP).

O SCDP integra as atividades de concessão, registro, acompanhamento, gestão e controle das diárias e passagens, decorrentes de viagens em território nacional ou estrangeiro. O sistema gerenciado pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) promove a tramitação eletrônica dos documentos, exigindo para a aprovação das viagens e pagamento das diárias a utilização de certificado digital. O uso do SCDP é obrigatório para os órgãos da administração pública federal direta, autárquica e fundacional.

A nova versão do sistema, desenvolvida em plataforma livre, trouxe várias funcionalidades. Entre elas: execução financeira de viagens para o exterior; conexão com o Banco Central para consultar a cotação do dólar em viagens internacionais; e emissão de Guia de Recolhimento da União (GRU). “Esperamos que as melhorias no sistema tragam agilidade, transparência e economia na emissão de passagens aéreas, disse Loreni Foresti, secretária de logística e tecnologia da informação do MP.

Esta formação faz parte da série de capacitações sobre o SCDP que o MP realizará ao longo do segundo semestre de 2013. O objetivo é atender a demanda de todos os órgãos públicos federais. As melhorias no sistema poderão ser utilizadas por todos os órgãos da Administração Pública Direta, Autárquica e Fundacional a partir de janeiro de 2014.