Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Tecnologia da Informação > Notícias > Projeto CI doa 879 equipamentos recuperados

Notícias

Projeto CI doa 879 equipamentos recuperados

publicado:  16/04/2015 15h19, última modificação:  16/04/2015 15h19

Brasília, 3/7/2007 - O Projeto Computadores para Inclusão (Projeto CI) recuperou 1.480 mil equipamentos de informática-  computadores, monitores e impressoras- entre de abril de 2006 a maio último. Desses equipamentos, 879 foram doados para 43 escolas, bibliotecas, telecentros e outros projetos de inclusão digital do país.

O balanço traz os resultados obtidos em um ano de existência do projeto, cujo primeiro Centro de Recondicionamento de Computadores (CRC), em Porto Alegre, foi inaugurado em abril do ano passado. Já os centros do Gama (DF) e Guarulhos (SP) começaram a operar em dezembro de 2006.

Umas das entidades beneficiadas é a Prefeitura de Veranópolis, no Rio Grande do Sul. A doação ao Município de 15 computadores recuperados pelo CRC-Cesmar de Porto Alegre viabilizou a abertura, no ano passado, de um telecentro administrado pela Secretaria Municipal de Educação. O local, que oferece acesso gratuito à internet, além de cursos básicos de informática, recebe uma média de cem pessoas por semana.

“O telecentro desempenha um papel importante porque possibilita à comunidade veranense o acesso à informática e à internet, que é um dos meios de comunicação mais atraentes e evolventes da atualidade”, relatou a secretária de Educação de Veranópolis, Elis Regina Perachi Fávero. O centro funciona de segunda a sextas-feiras no centro da cidade e a intenção, conforme a secretária, é ampliar os horários de funcionamento do telecentro já que a procura pelas atividades superou as expectativas.

O usuário Luís Roncato contou que até freqüentar o telecentro não tinha os conhecimentos básicos de informática. “Tenho computador em casa e minha filha sempre me pedia para ligá-lo ou desligá-lo e eu nem isso sabia fazer. Quando fiquei sabendo do curso oferecido pela Prefeitura, através do telecentro, me inscrevi rapidamente”, disse Roncato.

Os beneficiários dos equipamentos são definidos pela Coordenação Nacional do Projeto CI. Composta por representantes dos Ministérios do Planejamento, Educação (MEC) e Trabalho e Emprego (MTE), dos CRCs integrantes da rede e dos parceiros que aportam recursos e/ou serviços, como a Fundação Banco do Brasil (FBB) e a Dataprev. Essa comissão avalia os pedidos de doação encaminhados por entidades de todo o país e decide se atendem às diretrizes de inclusão digital e requisitos exigidos pelo projeto. As solicitações de equipamentos são feitas por formulário padrão disponível no endereço www.governoeletronico.gov.br/projetoci .

Até maio de 2007, os CRCs já haviam recebido 7.610 itens usados para recondicionamento, em sua maior parte doados por órgãos públicos, empresas privadas e estatais. Entre os principais doadores estão os Ministérios do Planejamento e da Saúde, Presidência da República, Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev), Refap/Petrobras, Receita Federal e Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro).

Na inauguração do CRC Gama, em abril de 2007, o presidente Lula assinou o Decreto nº 6.087 para facilitar o processo de doação de equipamentos de informática usados ao Projeto Computadores para Inclusão. Agora, os órgãos da administração federal direta, autárquica e fundacional devem informar a disponibilidade de doação dos equipamentos, suas partes e peças, ao Departamento de Logística e Serviços Gerais – DLSG da SLTI/ MP. Para agilizar o processo, cópia da listagem e descrição dos itens deve ser enviada ao endereço: desfazimento@planejamento.gov.br . O Ministério tem 30 dias para manifestar interesse e designar o CRC de destino dos equipamentos.

O Projeto CI é coordenado pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento e estabelece parcerias locais para manutenção e funcionamento das unidades de recondicionamento. Os CRC atuais são de responsabilidade da Associação de Apoio a Família, ao Grupo e a Comunidade (Afago-DF), com apoio da FBB e da ONG Programando o Futuro, no Distrito Federal; Centro Social Marista em Porto Alegre; e Oxigênio Desenvolvimento de Políticas Públicas e Sociais em Guarulhos (SP).

O alvo do Projeto CI é recuperar milhares de computadores descartados anualmente por órgãos governamentais e pelo setor privado para destiná-los a iniciativas de inclusão digital como telecentros, escolas e bibliotecas. “Um país pobre como o nosso não pode desperdiçar nenhum processador válido”, salientou o secretário de Logística e Tecnologia da Informação, Rogério Santanna. Ele lembrou que além de destinar os equipamentos recuperados para iniciativas de inclusão digital, o projeto desempenha um papel social na profissionalização de jovens em situação de risco já que os centros são instalados em regiões periféricas de grandes cidades.

Metas de ampliação
Para o secretário-adjunto da SLTI, Rodrigo Assumpção, o desafio do projeto neste segundo ano de atividades será qualificar a logística de captação e distribuição de equipamentos descartados e recuperados e ampliar o número de centros instalados e de computadores produzidos por cada unidade.

A meta é atingir uma produção entre 50 a 100 computadores recuperados por mês em cada centro. O Ministério do Planejamento negocia no momento parcerias com entidades de Curitiba, Rio de Janeiro, Fortaleza, Salvador e Recife. Atualmente 234 jovens de regiões periféricas qualificam-se em hardware e software nos três Centros de Recondicionamento de Computadores e a meta é instalar outras duas unidades ainda este ano.