Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Tecnologia da Informação > Notícias > Órgãos debatem projetos prioritários de TI para 2015

Notícias

Órgãos debatem projetos prioritários de TI para 2015

publicado:  16/04/2015 15h20, última modificação:  16/04/2015 15h20

Desenvolvimento do projeto estruturante do Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação (Sisp), gestão de pessoas e contratações de TI. Estes foram alguns dos temas debatidos na última reunião de coordenação do ano do sistema, que trouxe representantes de diversos órgãos públicos ao Ministério do Planejamento (MP) na tarde desta quarta-feira (3).

Como órgão central do sistema, a Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) apresentou propostas e eixos temáticos para os órgãos durante a reunião. "O desenvolvimento do novo sistema estruturante do próprio SISP vai ser uma das prioridades em 2015, onde vamos automatizar o Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) dos órgãos", exemplificou Luis Felipe Coimbra Costa, diretor do Departamento de Governança e Sistemas de Informação da secretaria.

O Sisp é a estrutura usada pelo governo federal para a organização do trabalho, controle, supervisão e coordenação da área de TI na administração direta, autárquica e fundacional. De acordo com Costa, as sete reuniões realizadas neste ano foram importantes para unir esforços, otimizar recursos e assim ter melhores resultados.

"A gente discutiu também a gestão de recursos humanos dentro das áreas de TI dos órgãos, como a carreira dos Analistas de Tecnologia da Informação (ATIs), a demanda de novos profissionais em cada órgão e o concurso que vai prover esses profissionais", afirma Luis Felipe, representante do Ministério das Comunicações (Minicom) na reunião de coordenação do SISP.

Outros temas de destaque foram as contratações de TI a partir da Instrução Normativa nº 4, o desenvolvimento colaborativo de softwares para uso de diversos órgãos – ferramenta que será disponibilizada na versão beta do novo Portal do Software Público - e a segurança da informação, a partir do estabelecido no Decreto nº 8.135.

"O sistema tem o desafio de buscar padronização, homogenização e qualidade dos serviços ofertados ao cidadão", disse Nestor Forster, chefe da divisão de informática do Ministério das Relações Exteriores (MRE).

Participam do sistema cerca de 220 órgãos públicos.