Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Tecnologia da Informação > Notícias > Moçambicanos conhecem modelo de compras públicas do Brasil

Notícias

Moçambicanos conhecem modelo de compras públicas do Brasil

publicado:  16/04/2015 15h20, última modificação:  16/04/2015 15h20

Brasília - 13/6/2011 - Representantes do governo de Moçambique iniciaram hoje uma série de reuniões com empresas e órgãos da administração federal. Eles vieram conhecer as ações, normas e estratégias adotadas pelo Brasil nas compras e contratações de bens e serviços. O primeiro encontro foi no Ministério do Planejamento, onde a comitiva esteve com gestores da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI).


Foto: Ilkens/Divulgação

Durante a missão, que vai até quarta-feira, os moçambicanos serão informados sobre as regras previstas na Lei 8.666/93 (licitações e contratos), funcionamento dos pregões eletrônico e presencial, demonstração do sistema de compras, cadastramento unificado de fornecedores, registro de preços e o Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi).

Segundo o secretário Delfino de Souza, este intercâmbio é importante não apenas para apresentar os desafios e avanços obtidos pelo Governo Federal nesta área, mas pela oportunidade de discutir o modelo de compras daquele país africano. “Esperamos que a nossa experiência possa contribuir para a melhoria da gestão pública que vocês pretendem implantar, afirma.


Foto: Ilkens/Divulgação

Tricamo Azize Tajú, diretor do Centro de Desenvolvimento do Sistema de Informação do Ministério das Finanças de Moçambique, disse que esta visita ocorre no momento em que o seu país está revendo processos e modelos das aquisições governamentais. Ele citou como exemplo as normas adotadas nos concursos por lances (mecanismo que corresponde ao pregão brasileiro). “Não é um sistema ainda completo, pois precisamos aperfeiçoá-lo para atender a vários tipos de compra, informou.

Os africanos ficaram interessados nas ferramentas e na oferta de serviços disponíveis no portal Comprasnet, como a possibilidade de inscrição dos fornecedores em um único cadastro, de forma eletrônica. As compras compartilhadas, em que vários órgãos da administração se juntam para adquirir o mesmo produto, também chamou a atenção da delegação. “O processo é mais ágil e traz um ganho significativo aos cofres públicos, explicou o diretor de Logística da SLTI, Carlos Henrique Moreira.

 Além do MP, os moçambicanos farão visitas ao Serviço de Processamento de Dados do Governo Federal (Serpro) e a Secretaria do Tesouro Nacional (STN). Eles vão conferir a estrutura tecnológica que dá suporte a todo esse processo.