Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Tecnologia da Informação > Notícias > Governo quer ampliar participação das empresas nas licitações federais

Notícias

Governo quer ampliar participação das empresas nas licitações federais

publicado:  16/04/2015 15h19, última modificação:  16/04/2015 15h19

Brasília, 18/5/2007 - A Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) do Ministério do Planejamento inicia nesta sexta-feira, dia 18 de maio, um programa de capacitação de servidores públicos federais com o objetivo de estimular a participação de micro e pequenas empresas (MPE’s) nas licitações do Governo Federal.

Cinqüenta servidores da área de compras governamentais (pregoeiros) receberão até o final do mês treinamento sobre os instrumentos jurídicos e administrativos disponíveis à ampliação desse segmento nas contratações públicas. São 25 pregoeiros de todo o país treinados hoje, em São Paulo, e outros 25 em Brasília, no final do mês. Todos deverão atuar como multiplicadores dos conhecimentos adquiridos em seus respectivos órgãos.

A capacitação vai abordar também as inovações previstas na Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, como a possibilidade de os órgãos públicos realizarem licitações exclusivas para esse segmento nas contratações no valor de até R$ 80 mil. Outra inovação da nova lei é que as micro e pequenas empresas terão preferência em caso de empates em licitações públicas. Ou seja, terão prioridade nos casos em que suas propostas forem iguais ou até 10% superiores à proposta classificada em primeiro lugar. No caso do pregão esse índice será de até 5%.

A iniciativa integra o Termo de Cooperação Técnica para o desenvolvimento do Programa do Uso do Poder de Compra do Estado, assinado no último ano com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), e conta com recursos do Banco Mundial.

A intenção é ampliar a participação das MPE’s nas licitações federais. Nos meses de janeiro e fevereiro de 2007, o Governo Federal comprou R$ 273, 2 milhões desse segmento que representam 11% do total adquirido.

O pregão nas formas presencial e eletrônica, especialmente, foi a modalidade licitatória mais utilizada pelas empresas de micro e pequeno porte para fornecer à Administração Federal, com R$ 86,6 milhões negociados no período. O pregão também foi o mais usado no ano passado quando metade dos R$ 2,2 bilhões licitados junto às MPE’s foi através dessa modalidade.

Conforme o Censo de 2002 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as micro e pequenas empresas têm 20% de participação no Produto Interno Bruto (PIB) e geram 60% de empregos do setor privado, enquanto as médias e grandes tem 80% de participação no PIB e são responsáveis por 40% dos empregos.  Segundo dados do Sebrae, elas representam 99% das empresas formalmente estabelecidas no Brasil. Mesmo assim, informações das Juntas Comerciais mostram que 50% das MPE’s que começaram a funcionar em 2002 fecharam em 2004.