Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Tecnologia da Informação > Notícias > GOVERNO FEDERAL COMEÇA A TESTAR PORTAL DE MEDICAMENTOS

Notícias

GOVERNO FEDERAL COMEÇA A TESTAR PORTAL DE MEDICAMENTOS

publicado:  16/04/2015 15h19, última modificação:  16/04/2015 15h19

Brasília, 11/05/2005 - O portal de medicamentos do governo federal, base única de informações gerenciais sobre o setor, começou a ser utilizado em caráter experimental por governos estaduais e municipais nesta semana.

De acordo com o secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Rogério Santanna, o SUS repassa ou compra R$ 13 bilhões em medicamentos e materiais hospitalares, sendo R$ 2 bilhões aproximadamente comprados diretamente e o restante repassado para estados e municípios. Desse valor, cerca de R$ 8,5 bilhões de medicamentos podem ter seus preços de aquisição reduzidos com a utilização do pregão eletrônico, por exemplo.


Antonio Cunha/Divulgação

O portal, que entrará no ar dentro de um mês, vai reunir as informações sobre compras, com recursos repassados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), de medicamentos feitas por pregão eletrônico e pelas demais modalidades.


 

A idéia é gerar um registro nacional de preços que possibilite aos gestores públicos federais, estaduais e municipais identificar os melhores preços praticados. Também será possível, numa segunda etapa, que estados e municípios façam consórcios entre si para compras em escala.

A iniciativa pretende reduzir o custo das compras do setor através da integração e padronização das informações de aquisição de medicamentos pelo governo federal, incluindo estados e municípios. A economia estimada é de R$ 1,3 bilhões ao ano.

Será possível visualizar preços praticados, avisos, resultados e contratos, informações que poderão ser acompanhadas não somente por fornecedores, gestores e órgãos de governo, mas também por toda a sociedade.

Os dados do sistema de compras do governo federal, o Comprasnet, já foram transferidos para o novo portal, com atualização automática. O próximo passo é a integração de dados com outros portais de compras utilizados no país. Entre eles o do Banco do Brasil e da Confederação Nacional dos Municípios.

Desenvolvido pelo Ministério do Planejamento por meio da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação, o portal será gerenciado pelo Ministério da Saúde. A integração será feita por meio do padrão tecnológico de transferência de dados XML (Extensible Markup Language).