Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Tecnologia da Informação > Notícias > Escola Virtual do Comprasnet capacita compradores públicos

Notícias

Escola Virtual do Comprasnet capacita compradores públicos

publicado:  16/04/2015 15h19, última modificação:  16/04/2015 15h19

Brasília, 14/6/2007 - A Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) do Ministério do Planejamento iniciou nesta quinta-feira, dia 14, a capacitação virtual de servidores públicos que atuam na área de licitações. O curso aborda o uso do pregão eletrônico e ocorre inteiramente pela Internet, na Escola Virtual do Comprasnet.

Cento e cinqüenta pregoeiros de 22 estados que atuam nos governos federal, estaduais e municipais participam desta primeira etapa de treinamento. O material didático com informações sobre legislação, ferramentas e procedimentos relativos ao pregão eletrônico está disponível no portal de compras públicas do Governo  Federal www.comprasnet.gov.br.

O curso conta com recursos como fórum de discussão, chat para interação com os tutores e demais participantes. Cinco tutores do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) darão todo o suporte necessário aos participantes.

O treinamento terá 30 horas de duração e o prazo máximo para conclusão é um mês. Os alunos aprovados receberão certificado de participação.

As inscrições continuam abertas no portal do Comprasnet e o Curso de Formação e Capacitação de Pregoeiros será retomada com o fechamento de novas turmas.

A Escola Virtual do Comprasnet integra o Programa de Formação e Capacitação de Pregoeiros da Secretaria que neste ano já treinou 422 servidores no país através de cursos presenciais na área de pregão eletrônico.

Crescimento do pregão eletrônico

O Governo Federal economizou R$ 1,8 bilhão com o pregão eletrônico em 2006. O valor é a diferença de 14% entre o preço de referência - o preço máximo aceito pela Administração por cada produto ou serviço - e o que efetivamente foi contratado após a disputa on-line entre os fornecedores.

O pregão eletrônico funciona como um leilão reverso no qual a disputa ocorre com o envio sucessivo de lances pela internet. O vencedor é aquele que oferecer o menor preço.

No ano passado, foram adquiridos R$ 11,1 bilhões através da modalidade eletrônica - 57% do total contratado. Esse balanço confirmou a tendência verificada ao longo do ano na qual a modalidade eletrônica tornou-se a preferida pelos órgãos públicos federais em suas aquisições.

Em 2002, por exemplo, o seu desempenho significou apenas 0,8% do valor contratado. Percentual que subiu para 3,8% em 2003, 5,8% em 2004 e 20,8% em 2005. Com esses resultados, o seu crescimento acumulado em 2006 em relação ao ano de 2002 foi de 17.926%.