Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Tecnologia da Informação > Notícias > Belo Horizonte ganha Centro de Recondicionamento de Computadores

Notícias

Belo Horizonte ganha Centro de Recondicionamento de Computadores

publicado:  16/04/2015 18h19, última modificação:  16/04/2015 18h19

Brasília, 9/6/2008 - O Centro de Recondicionamento de Computadores de Belo Horizonte, a mais nova unidade do Projeto Computadores para Inclusão do Governo Federal (Projeto CI), entra em operação nesta segunda-feira, dia 9 de junho. A iniciativa é resultado de uma parceria entre o Ministério do Planejamento e Empresa de Informática e Informação de Belo Horizonte (Prodabel).

O novo Centro de Recondicionamento de Computadores (CRC) foi instalado no Bairro Ipiranga, em um prédio de 897 metros quadrados, e oferecerá oportunidade de formação para 125 jovens que vivem em regiões periféricas da capital mineira. Nesse local funcionava até então a Oficina de Reciclagem Digital, um projeto da Prefeitura de Belo Horizonte em parceria com a Associação Municipal de Assistência Social (Amas).

O Projeto Computadores para Inclusão consiste numa rede nacional de reaproveitamento de equipamentos de informática, formação profissional e inclusão digital. Equipamentos descartados por órgãos do governo, empresas e pessoas físicas são recuperados nesses centros e doados a telecentros, escolas e bibliotecas de todo o país.

O projeto é coordenado pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) do Ministério do Planejamento que estabelece parcerias locais para a manutenção e funcionamento das unidades de recondicionamento. Para a instalação do CRC-BH, o Ministério do Planejamento repassou R$ 460 mil à Prodabel, órgão da Prefeitura de Belo Horizonte. As contrapartidas incluem a cessão do espaço, além de bens e serviços aplicados na implantação e operação do centro.

O secretário adjunto da SLTI, Rodrigo Assumpção, destacou que Belo Horizonte é uma capital estratégica para o Projeto CI. “Além de possuir o maior número de municípios do país, o estado de Minas Gerais tem movimentos de inclusão digital fortes e atuantes”, disse. “É mais um passo na consolidação do projeto, ampliando a nossa rede e a capacidade de produção de equipamentos, bem como de recebimento de máquinas para serem recuperadas.”

Os Centros de Recondicionamento de Computadores são instalados em regiões periféricas de grandes cidades e nesses locais os jovens aprendem a testar, consertar, limpar, configurar e embalar as máquinas. Além de promover a inclusão digital, esse é um dos principais aspectos do Projeto CI para o secretário de Logística e Tecnologia da Informação, Rogério Santanna.

“A iniciativa desempenha um papel social muito importante que é a inclusão social e a profissionalização de jovens em situação de vulnerabilidade”, frisou. No Centro de Belo Horizonte, os jovens terão aulas de instalação e manutenção de softwares, montagem de computadores e produção de vídeos digitais para TV na Web, entre outros. Quando concluírem o curso, estarão aptos a atuar no mercado de trabalho.

O Projeto Computadores para Inclusão integra o Programa de Inclusão Digital do Governo Federal. Além de Belo Horizonte, já estão funcionamento unidades em Porto Alegre, Guarulhos e Gama, no Distrito Federal. Desde o início do projeto até maio de 2008, já foram recebidos para recuperação 12.194 computadores usados, totalizando mais de 28 mil itens de informática, incluindo partes e peças.

Desse número, já foram doados 4.764 computadores (o que inclui estações de trabalho e servidores, com monitor, teclado e mouse) a 344 projetos de inclusão digital entre escolas, bibliotecas e telecentros de todo o país. Segundo Assumpção, depois do Rio de Janeiro, as Regiões Norte e Nordeste serão as próximas a implantar centros de recondicionamento do projeto.

Informações sobre como solicitar e doar equipamentos:
www.computadoresparainclusao.gov.br