Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Programa de Aceleração do Crescimento - PAC > Notícias > MCMV Entidades tem mais de 50 mil moradias contratadas

Notícias

MCMV Entidades tem mais de 50 mil moradias contratadas

Modalidade do Minha Casa Minha Vida foi criada para atender famílias de baixa renda organizadas por meio de associações, cooperativas e entidades privadas sem fins lucrativos

publicado:  26/06/2015 18h03, última modificação:  26/06/2015 18h03

Criado para atender às famílias de baixa renda organizadas por meio de associações, cooperativas e entidades privadas sem fins lucrativos, o Minha Casa Minha Vida (MCMV) Entidades ultrapassou as 50 mil moradias contratadas, em 2014, em todas as regiões do país, devendo beneficiar mais de 200 mil pessoas.

"Nesta modalidade, o processo conta com a participação das famílias na definição do projeto. Esperamos que a contribuição dos programas habitacionais ganhe cada vez mais espaço nas áreas centrais, pois o uso destes prédios para moradia é fundamental no processo de revitalização dos centros urbanos", diz a gerente nacional de Entidades Urbanas da Caixa Econômica Federal, Eleonora Mascia.

De acordo com Mascia, a reforma do edifício Manoel Congo, na Cinelândia, no Rio de Janeiro (RJ), é um exemplo a ser seguido por parcerias entre o MCMV Entidades e as organizações sociais. A obra está sendo feita por empreiteiras contratadas e por moradores qualificados para atuar em tarefas como a demolição de paredes, restauração de portas, janelas, esquadrias e na construção das unidades.

Os serviços especializados, como a troca da instalação elétrica, pintura das fachadas e recuperação dos dois elevadores, ficaram a cargo de pequenas empresas contratadas diretamente pela Associação de Apoio à Moradia. Têm preferência prestadoras de serviço em que trabalhadores são também sócios do negócio, como a empresa de ex-funcionários Light que está recuperando a fiação elétrica do prédio.

O edifício Manoel Congo recebeu este nome em homenagem ao líder quilombola da região cafeeira de Vassouras no século 19. Localizado em meio a modernos prédios de escritórios na zona central do Rio de Janeiro, o edifício está abandonado há mais de uma década e foi ocupado por trabalhadores organizados que foram despejados de outros dois edifícios na região central do Rio, desde 28 de outubro de 2007.

A reforma do Manoel Congo, a exemplo do projeto executado no Edifício Ipiranga da Avenida São João, em São Paulo (SP), está entre as principais reformas realizadas pelo programa nas regiões metropolitanas brasileiras.

Com informações da Agência Caixa de Notícias.