Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Empresas Estatais > Notícias > No 1º bimestre, estatais investem 41,7% a mais que em 2009

Notícias

No 1º bimestre, estatais investem 41,7% a mais que em 2009

publicado:  31/03/2010 10h25, última modificação:  13/07/2015 17h12

Brasília, 31/3/2010 – Os investimentos realizados pelas empresas estatais federais no primeiro bimestre deste ano foram mais de 41,7% maiores em relação ao mesmo período do ano passado, aproximando-se da marca de R$ 12,5 bilhões. Em comparação ao primeiro bimestre de 2008, houve um crescimento de mais de 110% no total de investimentos realizados no período.

O balanço dos meses de janeiro e fevereiro de 2010 sobre os investimentos das estatais foi divulgado hoje, por meio de portaria publicada no Diário Oficial da União, pelo Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Dest), órgão que faz parte da estrutura do Ministério do Planejamento e é responsável pela divulgação bimestral da execução do Orçamento de Investimento das empresas estatais federais.

De acordo com a portaria publicada hoje, foram executados R$ 12.454.580.837,00, o que representa cerca de 13% do total de investimentos programados para o ano de 2010, que ultrapassam R$ 94,5 bilhões, de acordo com as previsões da Lei Orçamentária Anual (LOA).

O Ministério de Minas e Energia, ao qual estão vinculados 92,5% do total de investimentos de estatais previstos na LOA 2010, obteve o melhor desempenho dentre os órgãos federais, ao realizar, no primeiro bimestre, 14% da programação anual. A segunda colocação ficou com a Presidência da República, que atingiu 10,6% de investimentos em relação à programação anual. O Ministério da Agricultura ficou em terceiro lugar dentre os que mais aplicaram investimentos nos meses de janeiro e fevereiro, com 8% do total previsto para o ano.

Alguns programas, principalmente no setor petrolífero, destacaram-se pelo seu desempenho na execução de investimentos. O programa de oferta de petróleo e gás natural respondeu por 45,3% do total de investimentos em programas, seguido pelo refino de petróleo, com 21,9%. Em seguida aparecem o programa Brasil com Todo Gás (10,1%), a atuação internacional na área de petróleo (8,5%) e o transporte de petróleo, derivados, gás natural e biocombustíveis (3,3%). Todos esses programas ultrapassaram a marca dos R$ 410,5 milhões em investimentos no primeiro bimestre.

Universo das estatais

A portaria divulgada hoje pelo Ministério do Planejamento engloba as programações de 75 empresas estatais federais, sendo 67 do setor produtivo e oito do setor financeiro. Das empresas do setor produtivo, 15 pertencem ao Grupo Eletrobrás, 29 ao Grupo Petrobras e as 23 restantes estão agrupadas em demais empresas. Não foram incluídas no relatório as entidades cujas programações financeiras fazem parte dos Orçamentos Fiscal e da Seguridade Social.

As empresas acompanhadas pelo Dest atuam em diversos setores, como o financeiro e de seguros, o de armazenamento e abastecimento de produtos agrícolas, o de energia elétrica (pesquisa, geração, transmissão, distribuição e comercialização), o de petróleo e derivados (também desde a pesquisa até a distribuição para o consumidor final, incluindo-se ainda gás natural), de administração portuária, de serviços postais, de infraestrutura aeroportuária, dentre outros.