Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Empresas Estatais > Notícias > Investimentos de estatais atingem volume recorde em 2010

Notícias

Investimentos de estatais atingem volume recorde em 2010

publicado:  02/02/2011 10h25, última modificação:  13/07/2015 17h23

Brasília, 2/2/2011 – As empresas estatais federais aplicaram R$84,1 bilhões em investimento em 2010, um novo recorde, com aumento de aproximadamente 17% em relação ao ano anterior, que foi de R$ 71,5 bilhões.

A informação consta da portaria nº 7, publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira pelo Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Dest) do Ministério do Planejamento.

O Orçamento de Investimento das Empresas Estatais para 2010 foi previsto inicialmente pela Lei nº12,214, publicada no DOU de 27/01/2010 – Lei Orçamentária Anual (LOA) – englobando 75 empresas estatais federais. Com a MP nº515, o número de estatais abrangidas no Orçamento de Investimento passou para 78 (70 do setor produtivo, oito do setor financeiro).

A LOA fixou dotação consolidada para o Orçamento de Investimento de 2010 em R$ 94,4 bilhões, o que representa 13,5% sobre o valor da dotação aprovada em 2009. No decorrer do ano, o orçamento teve a dotação alterada para R$ 102,1 bilhões, abrangendo execução de obras e serviços em 375 projetos e 280 atividades. Desse montante, foram executados R$ 84,1 bilhões, equivalente a 82,4% da dotação final.

Dos gastos realizados com investimentos em 2010, parcela equivalente a 71,3% do total foi financiada com recursos de geração própria. Em relação à dotação final, os recursos oriundos de receita das estatais perfazem 67,8%.

Os maiores investimentos foram no setor de energia, que atingiram o montante de R$ 78,2 bilhões. Na segunda posição, aparece o setor de comércio e serviços, incluindo o setor financeiro (R$2,58 bilhões) e, na terceira, o da indústria (R$ 1,9 bilhões).

Dentre os ministérios, destacam-se o de Minas e Energia, ao qual estão vinculados 93,4% do total de investimentos das estatais constantes da LOA, que realizou 83,9% da programação anual; o da Fazenda, com 76,4% de execução; e o da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com 69,2% de realização.

O total nas operações de crédito por região foi de R$ 667,6 bilhões, incluindo investimentos em indústria (R$ 117,5 bilhões), atividades rurais (R$ 33,5 bilhões), habitação (R$ 64,7 bilhões), entre outros.  As regiões Sudeste e Sul foram as que mais tiveram recursos, com, respectivamente, R$ 362,4 bilhões e R$ 118,2 bilhões, sendo que a região Nordeste atingiu R$ 87,7 bilhões.