Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Empresas Estatais > Notícias > Estatais: O melhor trimestre da história

Notícias

Estatais: O melhor trimestre da história

publicado:  02/05/2013 10h25, última modificação:  13/07/2015 17h31

Empresas estatais federais voltam a bater recordes de execução do Orçamento de Investimento

Brasília, 02/05/2013 - Depois de bater três recordes no segundo bimestre, a execução do Orçamento de Investimento das Empresas Estatais Federais manteve o ritmo forte e voltou a registrar marcas inéditas no primeiro trimestre de 2013. Neste período, as estatais investiram R$ 21,1 bilhões, alcançando 19,1% da dotação anual, de R$ 110,8 bilhões. O desempenho é o novo recorde para o 1º trimestre, superando 2012 (18,6%) e 2010 (18,4%).

Entre janeiro e março deste ano, as estatais federais executaram R$ 1,6 bilhão a mais do que no mesmo período do ano passado, com crescimento recorde de 10,7%.

A execução acumulada em 12 meses também atingiu recorde em março de 2013, com R$ 99,8 bilhões em investimentos das estatais federais. Esse montante representa um crescimento de 17,6% sobre o acumulado em 12 meses registrado em março de 2012 e de 2% sobre o acumulado registrado ao final de 2012.

1º bimestre – Em janeiro e fevereiro as estatais federais realizaram investimentos de R$ 13,7 bilhões, valor nominal recorde para o período, superando em 10,7% os R$ 12,4 bilhões registrados no ano anterior.

O valor alcança o volume também recorde de execução, de 12,4% da dotação final de R$ 110,8 bilhões, a maior já aprovada para um exercício.

2012 – Juntas, as empresas estatais brasileiras nunca executaram tantos investimentos quanto no ano passado. No período, bateram dois recordes, alcançando o melhor desempenho absoluto da história, com R$ 97,9 bilhões em investimentos, e o mais alto percentual de execução, com 92,7% da dotação para o ano.

A execução de 92,7% superou com folga a marca de 86,6% registrada em 2009, recorde até então. Em termos nominais, os R$ 97,9 bilhões investidos ao longo de 2012 ultrapassam os 94,6 bilhões registrados como recorde em 12 meses, em novembro de 2011.