Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Empresas Estatais > Notícias > Em um bimestre, investimentos das estatais crescem 12%

Notícias

Em um bimestre, investimentos das estatais crescem 12%

publicado:  01/10/2010 10h25, última modificação:  13/07/2015 17h21

Brasília, 1/10/2010 – As empresas estatais federais aplicaram R$ 13,9 bilhões em investimentos apenas nos meses de julho e agosto deste ano, um aumento de 11,7% em relação aos valores registrados no 3º bimestre – período imediatamente anterior.

A informação é do relatório de execução do orçamento de investimento das empresas estatais, publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira, Seção 1, pelo Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Dest) do Ministério do Planejamento.

De acordo com o documento, o montante de recursos aplicados em investimentos no acumulado deste ano, até o final do mês de agosto, alcançou a marca de R$ 51,79 bilhões. Esse valor apresenta um crescimento de pouco mais de 22% em relação ao mesmo período de 2009, quando os investimentos ficaram na casa dos R$ 42,4 bilhões.

O Ministério da Previdência Social, que supervisiona a Dataprev, obteve o melhor desempenho entre os órgãos no quesito aplicação de investimentos, porque já realizou 94,7% da programação anual (executou R$ 89,4 milhões de uma dotação total de 94,4 milhões para 2010).

Em segundo lugar aparece o Ministério da Agricultura (supervisor das empresas Ceasaminas, Casemg e Ceagesp), com desempenho de 75,9%, equivalente a R$ 4,19 bilhões investidos.

Na terceira colocação está o Ministério de Minas Energia (MME), supervisor dos grupos Petrobras e Eletrobrás, com 57% de sua programação anual executada no período, o que corresponde a aplicação de R$ 49,86 bilhões até o 4º bimestre, com dotação anual de R$ 87,42 bilhões. O MME detém 92% do total de investimentos estatais.

Programas em destaque
O relatório destaca os resultados obtidos em 10 programas do setor de petróleo, oito do setor de energia elétrica e seis do setor de transporte (esses últimos sob responsabilidade das Companhias Docas).

No setor petrolífero, o programa de Oferta de Petróleo e Gás Natural lidera o ranking dos investimentos, tendo aplicado R$ R$ 22,5 bilhões até o 4º bimestre. Em seguida aparecem os programas Refino de Petróleo (R$ 11,98 bi), Atuação Internacional na Área de Petróleo (R$ 3,24 bi) e Brasil com todo Gás (R$ 2,49 bi).

Bancos
Dentre as instituições financeiras, o Banco do Brasil obteve o melhor desempenho, tendo aplicado quase R$ 772,5 milhões até o quarto bimestre deste ano. Em segundo lugar ficou a Caixa Econômica Federal, com execução de R$ 270 milhões. O BNDES executou R$ 17,59 milhões.

O volume de empréstimos e financiamentos efetivamente concedidos até o quarto bimestre chega ao valor de R$ 410,7 bilhões. A região Sudeste ficou com a maior parte dos recursos, R$ 220,7 bilhões, seguida por Sul (R$ 76,1 bi), Nordeste (R$ 55,1 bi), Centro-Oeste (R$ 37,8 bi) e Norte (R$ 20,8 bi)

Universo das estatais
O relatório divulgado pelo Dest engloba as ações de 75 empresas estatais, sendo oito do setor financeiro, três no setor de armazenamento e abastecimento de produtos agrícolas, 15 no setor de energia elétrica e 29 do setor petrolífero. Também há oito empresas que atuam no setor de administração portuária, sete no de serviços, três no setor industrial, uma no setor postal e uma no setor de aeroportos.

Não foram computadas as entidades cujas programações façam parte dos Orçamentos Fiscal e da Seguridade (as chamadas empresas dependentes do Tesouro Nacional) nem tampouco as que não programaram investimentos.

Para 2010, a dotação total para investimentos nessas empresas é de R$ 94,9 bilhões, agregando execução de obras e serviços em 366 projetos e 274 atividades.