Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Concursos > Notícias > Planejamento autoriza 11 órgãos a nomear Analistas de Políticas Sociais

Notícias

Planejamento autoriza 11 órgãos a nomear Analistas de Políticas Sociais

publicado:  25/06/2013 15h52, última modificação:  28/05/2015 09h29

Brasília, 25/06/2013 – O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão autorizou nesta terça-feira a nomeação de 888 candidatos aprovados para o cargo de Analista Técnico de Políticas Sociais, do concurso autorizado em dezembro do ano passado pela portaria 230.

De acordo com a Portaria n° 227, publicada hoje no Diário Oficial, 11 órgãos federais nomearão candidatos aprovados nas seguintes áreas: Educação, Saúde, Gestão Social, Previdência e Assistência Social. Além dos 825 cargos previstos inicialmente, está sendo autorizado – com base no artigo 11 do Decreto 6944/09 – um adicional de 63 nomeações.

Este é o primeiro provimento para o cargo de analista, integrante a Carreira de Desenvolvimento de Políticas Sociais, criada para atuar no planejamento e no aperfeiçoamento das ações e políticas sociais. A remuneração inicial é de R$ 5.210.

A carreira tem características de transversalidade, isto é, o servidor pode ser nomeado para qualquer ministério que desenvolva atividades na área social. O Ministério do Planejamento é o responsável pela definição da lotação dos cargos nos órgãos.

Deste efetivo autorizado hoje, os ministérios que receberão mais servidores são o da Saúde (501) e o do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (200). Às nomeações corresponderá a substituição de consultores contratados por organismos internacionais; e ainda, de servidores terceirizados que estão em desacordo com a legislação vigente.

As demais nomeações são para a Secretaria de Direitos Humanos (10 aprovados); a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (15); a Secretaria de Políticas para as Mulheres (17); o Ministério da Educação (30 servidores); o Ministério da Previdência Social (20); o Ministério da Justiça (30); o Ministério das Cidades (10); o Ministério do Desenvolvimento Agrário (30); e o Ministério do Trabalho e Emprego (25).