Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Assuntos Internacionais > Notícias > Seminário na Argentina debate desafios e estruturas econômicas

Notícias

Seminário na Argentina debate desafios e estruturas econômicas

Encontro teve a participação do secretário de Assuntos Internacionais do Planejamento

publicado:  21/08/2015 21h54, última modificação:  21/08/2015 21h54
Foto: Liliana Jacyszyn/ Divulgação

Foto: Liliana Jacyszyn/ Divulgação

O secretário de Assuntos Internacionais do ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP), Claudio Puty, além de diretores e representantes da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), reuniram-se esta semana no segundo Seminário sobre Estrutura Produtiva, Instituições e Macroeconomia. No encontro, foram debatidos o papel do estado e da política nos processos de crescimento regional, integração econômica entre outros assuntos.

Claudio Puty, que participou da mesa América do Sul no novo cenário internacional: Tendências, Perspectivas e Desafios, destacou que a Cepal está se reestruturando com uma agenda de pesquisa e formulação de políticas públicas muito afinada aos rumos desenvolvimentistas que a região tomou nos últimos anos.

Também participaram do painel o diretor da Divisão de Desenvolvimento Produtivo e Empresarial, Mario Cimoli; o diretor dos escritórios da Cepal em Buenos Aires, Martin Abeles; o diretor dos escritórios da Cepal em Buenos Aires e o secretário de Relações Econômicas Internacionais, Carlos Bianco. O evento aconteceu em Buenos Aires, na Argentina.

Na ocasião também foi marcada pela apresentação do livro Neoestruturalismo e Correntes heterodoxas na América Latina e no Caribe no início do século XXI, que propõe um retorno para a economia.

A Cepal

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) foi criada em 25 de fevereiro de 1948, pelo Conselho Econômico e Social das Nações Unidas (Ecosoc), e tem sede em Santiago, no Chile. A Cepal é uma das cinco comissões econômicas regionais das Nações Unidas (ONU) e tem como função monitorar as políticas direcionadas à promoção do desenvolvimento econômico da região latino-americana, assessorar as ações encaminhadas para sua promoção e contribuir para reforçar as relações econômicas dos países da área, tanto entre si como com as demais nações do mundo. Posteriormente, o trabalho da comissão ampliou-se para os países do Caribe e se incorporou o objetivo de promover o desenvolvimento social e sustentável.