Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Assuntos Internacionais > Notícias > Investidores italianos recebem informações sobre financiamento para infraestrutura

Notícias

Investidores italianos recebem informações sobre financiamento para infraestrutura

Reunião foi coordenada por Secretaria de Assuntos Internacionais do Planejamento

publicado:  19/04/2016 19h45, última modificação:  20/04/2016 12h38

 
Representantes do governo brasileiro e investidores italianos se reuniram, na tarde desta terça-feira (19), no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP), para debater sobre as linhas de financiamento para concessões em infraestrutura. Em novembro do ano passado, os dois governos firmaram acordo de entendimento para desenvolvimento de investimentos e fortalecimento da cooperação produtiva.

Foto: Gleice Mere/Ministério do Planejamento 

“Esta reunião tem como objetivo discutir e esclarecer as dúvidas sobre as possibilidades de financiamento para infraestrutura por bancos nacionais ou pelos bancos multilaterais de desenvolvimento”, explicou o secretário de Assuntos Internacionais (Seain) do MP, Rodrigo Estrela de Carvalho.

Durante o encontro, o secretário-adjunto de Assuntos Internacionais do MP, Flávio Basílio, apresentou a perspectiva da economia brasileira. “A mensagem central é que os indicadores macroeconômicos permitem uma reativação da economia brasileira para ganhos de produtividade“, disse.
 
Foram apresentados ainda aos empresários Italianos os setores rodoviário, aeroportuário e de energia. “Hoje mostramos aos investidores que o mercado brasileiro tem oferta diferenciada para um melhor investimento, indicando como funciona a arquitetura de financiamento no Brasil”, complementou Rodrigo Estrela de Carvalho.
 
Participaram também da reunião o chefe do Departamento Comercial da Embaixada da Itália no Brasil, Gabriele Annis, o diretor do Departamento de temas de Infraestrutura do Planejamento (SPI) do MP, André Arantes, além de representantes do Ministério da Fazenda (MF), da Corporação Andina de Fomento (CAF), do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Caixa Econômica e do Banco do Brasil.