Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Assuntos Internacionais > Notícias > Brasil e China buscam parceria produtiva exemplar

Notícias

Brasil e China buscam parceria produtiva exemplar

Países focam áreas de capacidade produtiva, infraestrutura e financiamento

publicado:  09/07/2015 21h18, última modificação:  09/07/2015 21h24

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, discutiu hoje (9) com o embaixador da China no Brasil, Li Jinhang, a parceria entre os países para as áreas de capacidade produtiva, infraestrutura e financiamento. “Esperamos que, por meio do esforço conjunto, possamos transformar esta parceria em um caso exemplar para a China e outros países latino-americanos e também outros países em desenvolvimento”, disse o embaixador.

20150709 Foto reunião emb China2.jpg

Foto: Francisca Maranhão/ Ascom MP

Os países estão levantando os interesses empresarias mútuos para viabilizar negócios. “Do ponto de vista geral, os nossos objetivos continuam os mesmos, ou seja, de diversificar a nossa relação comercial com a China, ampliando a fatia de produtos manufaturados nos dois sentidos e também atraindo mais investimentos chineses para aumentar a produção no Brasil e atender ao nosso mercado interno”, resumiu Barbosa.

Mais especificamente, o ministro avaliou que o Brasil pretende aumentar a produtividade dos setores de bens de capital e também da geração de energias alternativas, além de ampliar a exportação de produtos manufaturados e alimentícios para a China.

Barbosa também voltou a reafirmar o interesse brasileiro de contar com a participação de empresas chinesas nos projetos e nas obras de infraestrutura previstas na segunda etapa do Programa de Infraestrutura e Logística (PIL). O encontro serviu ainda para discutir a modelagem de uma estrutura de financiamento para os projetos com a participação de capital chinês.

Sobre a Ferrovia Biocêanica – rota estratégica para o escoamento da produção brasileira via Pacífico para os mercados asiáticos –, foi informado que especialistas brasileiros, chineses e peruanos já estão trabalhando na elaboração do estudo de viabilidade do projeto, que deverá ser concluído até maio de 2016. Com este cronograma, o governo brasileiro estima lançar editais para o início das obras de trechos da ferrovia no segundo semestre do ano que vem.