Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Assuntos Econômicos > Notícias > Brasil e China assinam acordo para estimular investimentos

Notícias

Brasil e China assinam acordo para estimular investimentos

publicado:  19/05/2015 13h50, última modificação:  09/10/2015 16h38

Documento abre novas oportunidades para os dois países

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, e o presidente da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma, Xu Shaoshi, assinaram hoje (19) acordo-quadro de cooperação entre os dois países com a promoção de investimentos e da capacidade produtiva, nas áreas de infraestrutura e logística, energia, mineração, agricultura, e indústria manufatureira.

 


Crédito: Marcelo Camargo / Agência Brasil

O documento “abre novas oportunidades para os dois países”, ressaltou a presidenta Dilma Rousseff, durante seu discurso na cerimônia de recepção do primeiro-ministro da China, Li Keqiang. “Brasil e China estão promovendo uma parceria de infraestrutura e isso necessita de equipamentos. A China tem equipamentos de boa qualidade e gostaríamos de cooperar com a parte brasileira, criando mais emprego para população local”, disse, por sua vez, o líder chinês.

Pelo acordo, haverá um Comitê Diretivo para Investimento e Cooperação em Capacidade Produtiva com representantes dos dois governos e a primeira reunião será marcada brevemente. No setor de infraestrutura e logística, está prevista colaboração na construção e operação de rodovias, ferrovias, aeroportos, portos, logística de armazenamento, gasodutos para gás natural e pontes. Entre os empreendimentos de interesse comum, destaca-se a construção da ferrovia transcontinental.

“Convidamos as empresas chinesas a participarem dessa grande obra, que sairá de Campinorte, lá na Ferrovia Norte-Sul, passará por Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso, atingirá o Acre e atravessará os Andes até chegar ao porto no Peru”, explicou Dilma. A obra terá 4,4 mil quilômetros de extensão em território brasileiro.

Ao todo, foram firmados ainda 35 acordos setoriais e empresariais. Entre estes, houve entendimento entre a presidenta da Caixa Econômica Federal, Miriam Belchior, e o presidente do Banco Industrial e Comercial da China (ICBC), Yi Huiman, que criou um fundo de investimento para projetos de energia limpa e de rodovias, ferrovias, portos, aeroportos, habitação e relacionados à agricultura sustentável.

Depois da assinatura dos acordos, foi transmitido ao vivo a inauguração da primeira linha de transmissão de energia elétrica de Belo Monte – uma das maiores obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A instalação conta com mais de dois mil quilômetros de extensão e vai levar energia para o Pará, Tocantins e Minas Gerais.